17 de maio de 2012

O Varal de Roupas do Pedro...





Eu oficialmente sou uma lavadora de roupas de bebês! E haja roupa! Parece que juntei roupa durante um mês e resolvi lavar tudo de uma única vez. E são tão pequeninas!
Senti como se tivesse voltado no tempo e estivesse brincando de bonecas novamente. Foi como se eu estivesse lavando as roupinhas das minhas bonecas, mas a realidade foi totalmente diferente. Agora são as roupas do meu Pedro. E o cheirinho das roupas... Que coisa mais gostosa de sentir. E fico imaginando aquela bola de gordura vestindo as roupinhas! Ai gente, eu vou morrer de tanto amor! Eu falo bola de gordura porque até o nascimento, ele vai engordar mais ainda e vai nascer gostosinho de apertar, de morder.
Eu acho que não vou cansar de olhar e nem vou acreditar que fui eu que fiz tanta perfeição. Bem, eu e meu marido né? Vamos dizer que ele teve 50% de participação!
Mas voltando a lavagem de roupa... Eu ia colocar tudo na máquina por falta de tempo mesmo. Estou chegando quase 11 da noite da faculdade e o tempo é escasso. Mas como sou uma pessoa perfeccionista e chata e cheia de neuroses e fico imaginando mil coisas do tipo: vai desfiar, tal tecido pode manchar...
Acabei lavando tudo na mão. Como falei no post anterior, comprei um lavador de roupas líquido próprio para roupas finas e delicadas. Eu preferi fugir do tradicional sabão de coco e comprei com outra fragrância.
Sabe qual foi a pior parte? Bem, não é a pior parte porque estou fazendo tudo para meu filho. Mas foi doído lavar tanta meia, sapatinho e luvinha de mão tão pequeninos. Mal cabia na minha mão. E quanto mais eu lavava mais aparecia. Parecia que o negócio tava dando cria! Kkkkkkkkkkkkkkk
E eu lá já animada (Super cansada), a água tava gelada e esses dias o tempo tem esfriado bastante. Bem, quem não tem cão, caça com gato não é? E como não tenho ninguém para me ajudar, eu tenho que contar somente comigo. Mas em nenhum momento me revoltei, nem me senti cansada. Nesses dois dias que lavei roupa tarde da noite, eu fui dormir quase 1 da manhã e acordei no outro dia como se tivesse descansado o suficiente. E eu não acordei ao meio dia para me sentir descansada. Encarei o dia de trabalho normalmente e ainda fui para a faculdade. Estou me sentindo uma guerreira!
Por enquanto lavei somente as fraldas, os lençóis, cueiros (nem sei porque comprei isso, minha sogra que falou que ia ser bom, mas achei que era alguma coisa mirabolante, ai quando eu desembrulhei: um pedaço de pano!!!), as toalhas de banho. E uma novidade: eu pensei que tinha comprado lençol de berço, mas não comprei. Comprei errado. Os dois conjuntos de lençol que comprei, são aqueles lençóis próprios para colocar no carrinho ou moisés. Bem, mas até final do mês já compro o que falta.
Lavei as roupas de tamanho RN e P. Os de tamanho M, eu irei lavando aos poucos. Agora falta passar, fazer a mala da maternidade (minha e dele). Esperar o berço chegar, comprar o que falta e esperar a chegada do meu príncipe.
Tenho conversado bastante com o Pedro, pedindo principalmente para ele nascer fielmente somente depois que maio tiver acabado. Tomara que ele me escute! Hehehe
E eu tenho cantado para ele. E é tão bonitinho vê-lo mexer aqui na pança e fazer os movimentos dele de um lado para o outro. Eu canto e ele dança! Hehehehe
Não sei se vocês viram o programa do Luciano Huck (assim que escreve? Meu computador tá tão lento que se eu for procurar a escrita correta o danado me dará a resposta amanhã hehehehe), no programa passou uma mulher que tava grávida de trigêmeos. E eles eram carentes e tal, mas não vem ao caso. Eu pensei que iria ser dura no nascimento do Pedro, que não iria chorar, que não iria me emocionar, mas gente, quando passou o nascimento dos trigêmeos, meus olhos encheram de lágrimas e eu quase chorei. Ish! Estou quase chorando aqui só de lembrar! Estou bem sentimental e acho que vou chorar pra caramba quando eu ver aquele pedacinho de gente comigo, reconhecendo minha voz. Só de imaginar já sinto um amor maior do que eu, maior do que o universo.
Durante essa gravidez eu aprendi uma coisa: nunca mais deixar as coisas para depois. Eu já deveria estar com tudo pronto, mas graças a obra interminável da casa, eu fui adiando comprar as coisinhas dele, também para ficar evitando palpite dos outros. É fácil dar palpite, difícil é perguntar se queremos ajuda, se estamos precisando de alguma coisa. E eu estou aprendendo a ser direta. Quando eu estava comprando as roupinhas do Pedro, sempre queriam me empurrar um monte de roupa verde. Se dependesse do povo, meu filho ia sair da maternidade parecendo um sapo de tanto verde que ia está vestido. E eu não gosto de verde! E fui bem clara quando vinham me mostrar uma roupinha verde e ia logo dizendo: eu não gosto de verde! E o filho é meu e eu que escolho as roupas dele. Claro que comprei roupa verde para ele, mas verde bem clarinho ou verde musgo, nada de verde limão.
Bem, por enquanto só preciso ter paciência com marido, com faculdade e com a espera do Pedro. Tenho medo de ser intolerante quando ele nascer. Esse é o meu maior medo, mas qual é a mãe de primeira viagem que não tem esse receio?
E para a minha alegria, as espinhas sumiram!!! Mas a bruaqueza continua! Mas logo terá fim!
Agora é só ir preparando as coisinhas do Pedro pouco a pouco!

Ah! Esqueci de colocar aqui, mas ganhei um selinho super fofo da Tacia. Eu amo meu blog porque gosto de escrever e eu exorciso as coisas ruins e tento sempre pensar nas coisas boas e nas bênçãos que o Senhor tem me dado. E é claro que eu gosto, na verdade, eu adoro ter a companhia de vocês por aqui me ajudando nas minhas dúvidas e me fortalecendo com palavras de carinho.
Bem, não consegui colar o selinho aqui, (problema no computador), mas depois eu volto e atualizo com o selinho. E volto com os oferecimentos. O tempo hoje tá curto!
 
É isso ai! E de acordo com umas das contas da ultrasom, estou entrando na 37ª semana. Está chegando. O meu “inverno” terá fim e chegará finalmente a primavera com a chegada do meu amor maior!


Beijão!



14 de maio de 2012

Fico Triste... Alegre...


Pois é! Os hormônios por aqui estão bem bagunçados. Tenho estranhado esse meu comportamento, porque até semana passada, eu estava com todo o gás. Estava ligada no 220. E hoje, eu já acordei querendo ficar em casa. Fiquei sem vontade de ir para a faculdade e encarar mais um dia de aula e pior, sem vontade de vir trabalhar.
Acho que a ficha caiu e que maio chegou. Até ontem me via em janeiro imaginando como seria estar às portas de conhecer o meu Pedro. E maio está aqui, prestes a entrar em junho e eu fico assim?
O pior é que não tive tempo ainda de lavar as roupinhas do Pedro. Estão todas etiquetadas ainda. Mas aonde arranjar tempo? Hoje, mais uma vez chegarei depois das 23 horas. Pretendia lavar suas roupinhas na mão, mas com a falta de tempo, vou ter que colocar na máquina e deixá-la fazer o trabalho dela. Vou lavar na água quente. Comprei até lavador de roupas liquido próprio para roupas delicadas.
Sábado fomos comprar mais coisas para o Pedro. Comprei uma chupeta (vai que nada acalma o Pedro, não é? Vou ficar prevenida com uma chupeta guardada), comprei um pacote de fraldas RN, lenço umedecido, uma escova para o cabelinho dele, sabonete...
Ficou faltando mil coisas ainda. Aonde fomos não tinha muita coisa para bebês. Então até final de maio irei comprando o restante... Como é que pode uma criatura tão pequena precisar de tanta coisa, não é?
Ainda falta:
  • Mamadeiras
  • Cortador de unha
  • 1 toalha sem capuz
  • Álcool 70%
  • Algodão
  • Pomada para assadura
  • Termômetro
  • Conta gotas
  • Banheira
E por ai vai. São muitas coisas ainda. Acho que por isso que estou nessa mudança de humor. E sem contar que não tenho ninguém para me orientar. Então, a mãe de primeira viagem aqui fica tudo no “acho que vai precisar disso e daquilo...”
Minha barriga já está baixa. Será que o Pedro vai nascer mesmo até o final desse mês?
Tenho sentido cólicas também. O dia todo, todo dia e esse cansaço que não me abandona? Estou procurando desculpas para não ir à faculdade mais, mas o meu senso de dever com os trabalhos e as pessoas que contam comigo não me deixam em paz. Só mais duas semanas e estarei livre das provas e voltarei somente semestre que vem (será?!?)
O berço ainda não chegou e estou louca para ver o bercinho dele lá montadinho no meu quarto. Quinta-feira é dia de consulta e estou ansiosa para ver o que a médica vai falar. Será que meu corpo já está apresentando sinais de que o Pedro está vindo e eu não estou percebendo?
A minha barriga está enorme! Não tem mais para onde crescer. Bocejar é um sacrifício porque estica o resto de espaço que ainda resta. Eu literalmente estou de barriga cheia. :D
Sem falar que estou curiosa para saber como vai ser o meu pedacinho de gente. E do jeito que ele mexe aqui dentro, estou desconfiada que esse menino vai ser da night. E já tem vontade própria, não posso deitar de barriga para cima que ele começa a mexer incomodado, se eu deitar do lado direito, ele começa a cutucar entre a barriga e o colchão, ai eu vou e deito do lado esquerdo e o menino fica sossegado. Nem nasceu e já sabe o que quer!
A falta de ar está constante, ando igual uma pata misturado com uma tartaruga. Seria uma PARTARUGA? Hehehehehe
E hoje o tempo está frio e com chuva. Adoraria estar em casa debaixo do edredom assistindo TV e comendo bolo com um copo cheio de leite com toddy, ou salada de frutas ou quem sabe até pipoca! E dormindo, é claro.
Mas eu ainda não estaria feliz completamente. Nem eu estou me entendendo! 



12 de maio de 2012

Comprinhas para mim e para o Pedro

Berço
Finalmente comprei o berço. Não poderia passar de ontem. E para variar, acordei com a preguiça atacada. hehehehe
Coloquei o relógio para despertar as 07h30 porque a criatura aqui pretendia sair unas 08h30. Mas ai eu fui enrolando e enrolando e acabei levantando tarde e sai somente as 09h20. Primeiro fui em uma loja em que era quase certeza que ia comprar o berço lá. Mas o preço do berço que eu queria (esse da foto) tinha subido muito. Muito mesmo! Então parti para outra loja! 
Cada dia mais eu sei que o Senhor tem agido em nossas vidas. Gente, eu vou entrar na licença maternidade cheia de contas do bebê. E eu lutei tanto para ficar sem muitas contas, mas não foi possível. Bem, o preço desse berço não era muito bom não, mas como foi o dono da loja que me atendeu, ele abaixou o valor do berço para mim. Ele me deu um desconto no berço de R$ 44,00. E ainda consegui desconto no colchão! 
Sem falar que eu tava comprando o berço e esqueci do colchão! kkkkkkkkkkk
Ainda bem que lembrei a tempo, senão meu filho ia ficar dormindo só no estrado da cama. hehehehe
Provavelmente essa semana, o berço estará em casa montadinho. Não vai dar tempo de fazer tudo antes dele nascer, mas depois vou fazendo aos poucos. O mais importante ele já tem, que são as roupinhas e o berço. O resto a gente corre atrás!
Eu já falei pra vocês que sempre deixo as coisas para a última hora, não foi? Bem, esse foi uma das ocasiões.
Um dia eu tomo jeito! Prometo!

Absorvente Pós-Parto
Eu nem sabia que precisava de absorvente pós-parto e nem sabia que uma mulher precisasse usar isso depois do parto. Na minha peregrinação em busca do berço, encontrei uma lojinha de fraldas. Entrei e já aproveitei e comprei um pacote. Gente, que troço grande! Parece um barco! hehehehe 
Vou me sentir no Titanic!
Comprei super baratinho. Foi R$ 7,00 por um pacote com 20 absorventes. Só não estou lembrada da marca agora!

Absorvente para seios
Comprei por somente R$ 6,00. Comprei dessa marca ai da foto!



Cinta Pós-Parto
Comprei duas cintas. Quero voltar glamourosa para a minha antiga forma. Porque essa forma de boluda tem que chegar ao fim! Os modelos que eu comprei são desses da foto!
Comprei tamanho P. Minha sogra que falou para mim comprar desse tamanho. Eu estou tão grande que não me imagino dentro de uma coisa tão pequena! hehehehe







Bem, hoje vou comprar mamadeira, chupeta, lenço umedecido, sabonete... Falta tanta coisa ainda! Mas eu chego lá. Agora a maratona vai ser lavar as roupinhas. Vou ter que começar logo porque já sinto umas cólicas leves, mas que insistem em aparecer o dia todo. E estou às portas da 37ª semana! Acho que tá na hora de agir, não é?


Bem, gente até segunda feira. Segunda-feira continuo com a postagem do que eu comprei!

Bom final de semana a todas!












10 de maio de 2012

Continuação....

Estou de volta, mas bem rapidinho.
Sei que disse que voltaria no dia seguinte para contar o restante do post.
Bem, não deu para vir. Enquanto esse semestre da faculdade não terminar, estarei muito comprometida com os trabalhos e apresentações.
Hoje é dia de um deles! E eu estou tão, mas tão cansada. Mas eu tenho que ser forte porque mais tarde vou poder olhar para trás e ver que eu dei o meu melhor para a minha formação e vou poder ter um emprego melhor para ajudar meu esposo a educar nossos filhos (se houver mais filhos hehehe).

Trabalho
Eu ainda continuo trabalhando. Não estou tendo dificuldade alguma em cumprir o meu horário de trabalho. Acho até bom, pois assim o tempo passa rápido e eu não fico ansiosa para a chegada do Pedro. Mas decidi que vou continuar no trabalho somente até o dia 22 desse mês. Tenho alguns dias de férias vencidas do ano passado e estarei pegando-as. Peguei alguns dias no final de abril e estarei pegando o restante no fim desse mês.


Minha primeira semana em casa de férias (do dia 21/04 até 01/05)
Passei uma semana de férias em casa e EU NÃO GOSTEI. Percebi que não gostei de ter a minha rotina quebrada. Nesses quase dois anos de empresa, eu nunca fiquei mais do que dois dias em casa. E ficar em casa durante uma semana, me fez ver que eu adoro trabalhar. Que eu não gosto de ficar cuidando de casa o dia todo. Que eu não nasci para ficar lavando prato, cozinhando, limpando.
Ainda não sei se voltarei a trabalhar. Vou decidir o que vai ser melhor para o meu filho. Se eu ver que ele não fica bem sem mim e que a minha presença vai ser melhor para ele, ficarei com ele e não vai ser nenhum sacrifício porque estarei educando meu filho e eu quero participar da vida dele.
Mas essa decisão só poderei tomar depois que ele nascer. Mas deixo bem claro que eu não gostei de ficar em casa sendo uma dona de casa.

Enxoval
Até o dia do meu último post, eu ainda não tinha comprado nadaaaaaa. E já estava desesperada arrancando os cabelos. Eu ia comprar o enxoval junto com a minha sogra e cunhada no dia 30 de abril, mas só iriamos se não chovesse. E choveu para caramba! Então eu fiquei de molho em casa orando para essa criança não resolver nascer.
E no dia 1º de maio eu voltei ao trabalho e não poderia faltar justo no dia da minha volta.
E ontem, eu finalmente pude ir comprar as roupinhas do meu tesouro. Fomos para São Paulo (Capital) por ser mais em conta e ter mais variedade. Mas quem disse que tem variedade de roupas para meninos? Tinha que ficar em bodies, macacões, mijões. Só sei que não tem muita opção!
E desde o começo da gravidez eu tentei ser sábia. Nada de ficar comprando "adoidado". Mas eu acho que exagerei! hehehe
Mas o importante é que eu já comprei e agora só falta lavar e passar.

Berço
Ainda não comprei. Amanhã é o dia que escolhi para comprar. Por causa da correria da faculdade, eu tenho andado tão cansada que tenho aproveitado bastante o tempo para descansar. Mas de amanhã não pode passar. Senão esse guri vai nascer e não vai ter berço!

Curiosidades
Por enquanto ainda não nasceu nenhum estria na barriga. Mas na parte inferior do meu seio apareceu umas bem grossas e escuras. Parece até um mapa! hehehehe
Mas me consolo é saber que nunca farei Topless e nem vou andar por ai mostrando as peitolas. Então não tenho com o que me preocupar.
Outra coisa, são as marcas de ser mãe! Não podemos ficar lamentando por causa dessas coisas. O mais importante é o que está no nosso coração e nada vai pagar cada sorriso banguelo que recebermos do nosso filho.

Mente proporcional ao meu estado gravídico
Eu não tenho noção do meu tamanho. Eu costumo olhar as manequins das vitrines com aquelas roupas justinhas e elas são tão sequinhas(as manequins). Me pego pensando em comprar determinada roupa, mas ai eu acordo para a realidade, vejo o tamanho da minha barriga e vejo que a roupa não vai entrar em mim. Mas é por pouco tempo!
Já comprei duas cintas pós-parto e eu vou voltar mais glamourosa do que antes! hehehehe

Efeitos colaterais da gravidez (queda de cabelo)
Marido fala que não vê a hora desse guri nascer e o meu cabelo parar de cair. Eu acho que meu cabelo está normal como antes. Mas se ele está falando que está caindo demais, quem sou eu para dizer que não?

E o baby?
Hoje eu tive mais um ultrasom e o Pedro está pesando 2,925 Kg. E pelo ultrasom deu que eu já estava de 36 semanas e 02 dias. Genteee, fala sério! Vou seguir mais não essas datas loucas. Nem eu sei quando essa criança vai nascer. A única certeza que eu tenho é que de junho não passa (espero)!
O Pedro já está virado²!
Virado¹: de cabeça para baixo.
Virado²: Não pára de mexer aqui dentro. Tá numa festa eterna! É um mexe de pernas prum lado e pro outro


Quando essa correria passar, eu volto mostranho as roupinhas que eu comprei, o kit berço e venho falar da escolha do berço e das roupinhas. E que vocês possam me dar uma luz sobre o que ainda tenho que comprar. Mãe de primeira viagem é assim, fica perdidinha quando o assunto é quantidade e tamanho.
Bem, hora de ir para a faculdade que eu não queria ir, mas tenho que ir! ;(

Ah! Obrigada a todas pelos comentários! Vocês me ajudam a ter coragem de seguir a segunda milha...
Beijos

7 de maio de 2012

Em meu estado gravídico...

Sei que ando sumida! Sumida demais até...
Eu estou ótima. O Pedro não pára de mexer e como falta somente 4 semanas, eu tenho ficado curiosa de como vai ser o meu projetinho de gente. Como vai ser o seu rostinho, a cor do seu cabelinho (se tiver hehehe), se vai ser pequenininho ou grandão igual ao pai. E eu estou cada dia mais e mais apaixonada pelos dois homens da minha vida. Meu marido tem sido maravilhoso comigo. Tem me ajudado bastante nessas últimas semanas e eu não tenho palavras para descrever o quanto eu sou grata por tudo que o Senhor tem me dado. O Senhor me deu um filho não esperado, mas que veio no tempo que Ele achou o certo para o meu casamento.
Mas vamos por áreas:

Faculdade: Essas últimas semanas estão sendo bem corridas. A faculdade está me deixando de cabelo em pé. São muitos trabalhos com apresentação, atividades complementares, aulas chatas, idas e voltas em ônibus cheio. E sem contar que teremos uma palestra dia 18/05 que está deixando a turma estressada e correndo contra o tempo. Dia 17/05 terei minha consulta com a médica e já vou pegar a minha cartinha para dar entrada na licença maternidade da faculdade. Terei direito a 3 meses de afastamento da faculdade. Isso quer dizer que se o Pedro nascer mesmo até final desse mês, perderei muitas provas do segundo bimestre, mas pelo menos a carta me protegerá de uma possível reprovação de semestre e as minhas faltas serão abonadas. Como ficarão as provas? Farei todas as que eu faltar no próximo semestre. Como? Boa pergunta! Ainda não sei!

Casa: Como é bom estar de volta na minha casinha. Usar minha máquina de lavar sem se preocupar se outras pessoas vão usar. Arrumar minha casinha sem pressa, na hora que eu quero. Estar de volta na minha casa não tem preço!
Agora, quando eu chego da faculdade (entre 23h00-23h30 da noite), posso ir mexer nas panelas sem medo de acordar fulano ou sicrano que tá dormindo e fazer minha comidinha porque eu chego morrendo de fome e as besteiras que vendem na faculdade, além de não serem saudáveis, não enche a minha barriga. Eu tenho fome de feijão e arroz!!!
Eu ainda continuo sem fazer trabalho pesado de passar pano na casa ou lavar banheiro porque eu fico com dores horríveis no quadril. Então meu marido tem me ajudado muito nessa parte. Eu fico somente com a parte de tirar o pó, lavar fogão (detestooo) e geladeira (idem), lavar prato e as roupas. Ah! E cozinhar! Marido sempre vem com a história de que adora minha comida. Ele pensa que me engana!
Ah! Aprendi a fazer arroz branco só com alho e sal. Podem acreditar, nesses três anos de casamento, meu arroz somente com alho e sal era um horror. Meu arroz tinha que ter cenoura, tomate e cebola para ficar gostoso. Ai eu vi num site ensinando a fazer arroz. Eu aprendi o segredo: não deixar o alho queimar. E a criatura aqui sempre (sempre mesmoooo) deixava o alho queimar. Agora eu aprendi e marido falou que meu arroz ficou mais gostoso do que o dele.

Situação psicológica e física:
Física→ Eu me sinto ótima. Nada de dores na coluna. Nada de idas freqüentes ao banheiro, nem durante o dia ou à noite. Não me sinto cansada, me sinto disposta – não como antes porque o tamanho desse barrigão não deixa. Me abaixar para pegar algo no chão é um teste de equilíbrio. Quando eu preciso me sentar no chão, preciso de uma ajudinha para me levantar, senão eu fico “encalhada”! Eu agora estou inchando por conta de estar mesmo no final da gravidez o que está sendo um alívio. Tenho sentido falta de ar com mais freqüência (não todos os dias), mas a falta de ar vem sempre na hora de dormir e a bendita vem acompanhada de uma azia danada. Para mim, tem dias, que dormir é a pior hora do dia.

Curiosidade: Não sei se é verdade, mas me disseram que quando temos azia à noite é porque o cabelo do bebê no ventre cresce mais durante a noite. Será? Se for verdade, terei um mini Tony Ramos, roqueiro ou até EMO aqui dentro. Porque o negócio aqui quando ataca é ruim demais.

Psicólogica:
Quando eu tinha uns oito anos, eu ia dormir sonhando com minha futura família. Eu gostava de um coleguinha e obviamente, ele era o meu marido. E nós morávamos numa floresta, precisamente em uma casa na árvore e tínhamos filhos. Vários filhos! Uns oito para mais (Interna a louca!). Todos os dias eu tinha um filho! Era a forma de idealizar a felicidade dentro do casamento e é claro que eu nem fazia ideia de como nasciam os bebês ou de como eles eram feitos (era boba demais). Sempre gostei de brincar de bonecas. Mas eram somente sonhos. Fantasia!
Casei e a vontade de ter filhos nunca foi forte o suficiente. E eu nunca me imaginei mãe, nunca pensei que teria a capacidade de gerar, cuidar, nutrir, proteger uma criança. Nunca me imaginei sendo chamada de mãe. E ainda não me imagino! Quando me olho no espelho, eu não vejo uma mãe. A coisa ainda não chegou ao meu coração! Dizem que quando nasce uma criança nasce uma mãe junto. Acho que esse meu momento “mãe” vai chegar nessa hora. Nunca, nunca mesmo, chorei em ultrasons, nem quando escuto o coração do meu bebê. Acho super normal e natural que o coração do meu filho bata. Isso é um bom sinal de que o coração bata, não é?
Sim, eu sei que não sou maternal. Acho que eu tenho meus pés bem firmes no chão e sei que as coisas não vão acontecer de uma forma mágica e irreal como nos meus sonhos aos oito anos.
Não me sinto mãe, mas eu amo essa criança além do que eu consigo imaginar. Seria um amor de mãe ainda não concreto? Ainda não provado?
Eu ainda me assusto com o tamanho da “bomba” que eu tenho nas mãos. Porque eu sei que a responsabilidade é ainda maior do que “sustentar” um casamento.
E tudo é fase. Quando eu casei, ficava assustada com tamanha responsabilidade. E agora a fase “mãe” também está me assustando.

Continua...

Gente, o post vai ficar super enorme se eu não postar por partes. Então amanhã eu posto o resto. Mas a minha vontade mesmo é colocar tudo aqui, mas eu sei como é chato ler um post grande. E outra coisa, estou aberta a responder perguntas que tiverem ou até curiosidade ok? Prometo estar voltando a postar frequentemente.
Para não esquecer, amanhã estarei postando sobre:
  • Trabalho
  • Minha primeira semana em casa de férias (do dia 21/04 até 01/05)
  • Enxoval
  • Berço
  • Curiosidades
  • Mente proporcional ao meu estado gravídico
  • Efeitos colaterais da gravidez (queda de cabelo)
  • E outra coisinhas mais que irem aparecendo na minha cabecinha...




A história de Pedro e Mamãe

A história de Pedro e Mamãe