30 de dezembro de 2014

Antes de Dormir

Oi amadas, 
Estou eu aqui à 1 da madrugada e me bateu inspiração! Mas antes vou responder os comentários do último post. Fer, acho que vai ser uma novela engravidar novamente. Meus ciclos estão todos bagunçados. Nem sei como vou conseguir engravidar. Se eu não desistir né? Você me conhece tão bem e sabe da minha luta diária né? 
Lully querida, seria bom mesmo aproveitar essa idade do Pedro, mas vamos colocar nas mãos Daquele que tudo sabe né? 

Pronto! Recado dado! 
Meninas estou respondendo por aqui porque esse novo layout nao tem a opção de responder. Estou mudando algumas coisinhas por aqui e já comecei mudando o cabeçalho. Não ficou 100% do jeito que eu queria, mas aos poucos vou mudando e arrumando. Pra isso vai ser preciso várias madrugadas porque para fazer esse cabeçalho hoje foi uma novela com o meu carrapatinho. 

Bem, uma das coisas que eu sempre quis fazer é registrar todos os momentos do Pedro assim que as coisas acontecem. Nem sempre dá... 
Mas hoje antes de dormir aconteceu algo que aqueceu meu coração. E vejo o quão gratificante é ser mãe. Apesar do cansaço, do sacrifício, sei que tudo Vale a pena. 

Eu sempre canto pro Pedro antes dele dormir e ontem não foi diferente. 
Eu sempre canto "brilha brilha estrelinha" porque sei que ele dorme rapidinho. 
Ai ele me interrompeu no meio da canção e falou:
- "Não qué brilha brilha estrelhinha!"

Ai começo a cantar outra. "Se essa rua fosse minha"

- Não qué "Se essa rua" - ele parece exigente 
- "Qual você quer?" - Logo pergunto
- "Sapo!"

Vamos de sapo então... 
- "O sapo não lava o pé... "Quaando termino a primeira estrofe e vou pra parte com a letra "A", ele já se decidiu que não quer mais. Começo a cantar a música do "patinho qua qua" da Galinha Pintadinha 4 e ele tambem não quer.  Logo pergunto o que ele quer. 
-Qué dumi! 

Será que canto tão mal assim gente pra ele preferir ir dormir? 

Antes de cair no sono, ele pediu para eu parar e escutar. 
Parei e escutei foi nada de diferente. 
Logo ele solta:
-Tchau vião! 
Não era nenhum avião gente, ele meu marido roncando! Hahahaha
só me resttou dormir com um sorriso nos lábios. 
Como esse amor que sentimos faz bem né? 

27 de dezembro de 2014

Desabafo Pós-Natal

Sumi! E eu tinha tantos planos, tanta coisa para falar. Tanta coisa para compartilhar. Pedrinho está numa sapequice sem tamanho! Tenho vontade de vir compartilhar as sapequices dele aqui assim que acontece, mas mesmo com a tecnologia na mão fica difícil. 
Dia 19 a minha relação com o blog (já tive 3) completou 3 anos. Fiz até video, mas na hora de editar descobri que meu marido baixou vários programas no notebook e ele está um lixo. 
Me estressei e nem editei e nem terminei. queria ter postado, mas tem um tal de Baidu  (acho que é assim que escreve) que meu marido instalou que não desinstala nem com reza braba. 
Pedrinho está numa fase de carência danada. É muito grude! Carrapato mesmo! 
Muitas vezes (sempre) estou lavando os pratos e sinto ele abraçar minhas pernas. 
Agora conseguimos uma televisão só para ele para ver se eu consigo assistir algo mais apropriado para a minha idade, mas foi uma doce ilusão!
Muitas vezes ele vem me chamar para ver desenho com ele e me faz sentar ao lado dele. 
Falei que ele está carente? 
Nem meu celular ele esta deixando eu usar. Ele pega o celular e bate nele. 
#ciumesdefine
Agora são 2h00 da madrugada. Está quente! Marido está gripado e faz dois dias que peguei meu travesseirinho e vim dormir no colchão na sala. E adivinha quem está dividindo o colchão comigo? 
Meu carrapatinho! É muito amor, mas tanto amor que às vezes quero tomar um doril e sumir. 
Não pelo Pedro, mas pela situação de a casa sempre estar uma zona, desse cansaço inacabavel e dessa bendita menstruação que resolveu fazer graça nesses últimos seis meses. 
Pois é, atrasada de novo 3 dias. E não é Baby não! Acho que deve ser problema hormonal. 
Sempre tive ciclos de 28 dias e agora a bonita tá fazendo samba Lelê na minha cara. 
Não gosto dessa falta de controle. 
Fui na GO e ela falou que era normal atrasar. Mas todo mês? Eu nem sei de quantos ciclos é a minha menstruação mais. Estou perdidinha da Silva! 
Final de Janeiro tenho uma ultra bem na bonitinha para verificar o que está acontecendo. 
Tomara que encontrem uma razão para essa bagunça toda. 
Meninas, o relógio biológico está gritando por mais um Baby. Pedrinho está perto dos 3 anos e percebo que ele está muito sozinho. 
Mas tenho medo de desacelerar. Eu gosto de ter meu controle financeiro e com um segundinho eu vou ter que parar de trabalhar e sossegar (o que pra mim significa enlouquecer). 
Desde que casei sempre trabalhei e nunca precisei perguntar se poderia comprar isso ou aquilo. E sem contar que não tenho família próxima e vai ficar tudo nas minhas costas, como tem sido ultimamente. 
E vocês, tem esse medo também ou é besteira minha? 

Depois eu volto falando do nosso Natal e sobre as minhas metas para 2015. Antes do final do ano eu apareço! Prometo!!! 
IMAGEM DA INTERNET

11 de dezembro de 2014

Sessão: Para Você Lembrar (30 Meses)

Sorocaba, 11 de Dezembro de 2014

Filho, chegamos a mais um final de ano. É o seu terceiro Natal conosco. Você adora ver luzes pisca-pisca e já fala: Natal!
Adora ver a árvore de Natal com suas bolas coloridas e as luzes piscando. Esse ano, conseguimos tirar foto sua com o Papai Noel e você não chorou. Mas também não ficou muito fã do bom velhinho. Você queria mesmo era explorar o ambiente natalino.



Hoje você está completando dois anos e seis meses (30 Meses) e não tem como eu não me emocionar ao lembrar do caminho que percorremos até aqui.
Nem parece aquele cisquinho de gente quando te trouxe pra casa da maternidade. Parece que faz tanto tempo que você vive conosco e não somente 2 anos. Aprendemos tanta coisa juntos.
Você cresceu tanto. Está tão esperto, inteligente, amoroso, sociável...
Você têm tantas qualidades e a que eu mais admiro é ver você dividir o seu lanchinho com outras crianças. Você primeiro divide com outras crianças e depois come. Você é uma criança tão boa!
Eu tenho orgulho de você!
Antes de ontem, enquanto eu falava com uma de suas professoras no telefone, você fez aquela bagunça na sala e cozinha. Pegou maçã e comeu. Pegou bolacha e comeu.
Você é super independente e já sabe o que quer.
Mamãe pira com tanta bagunça e sujeira. Mas você é criança e não entende a neurose da mamãe em querer tudo limpo e arrumado. 
Mamãe só quer um ambiente sadio para você.


Vamos ao seu desenvolvimento desse ano.

Quando você entrou na creche no começo do ano, você não tinha muito vocabulário. Suas palavras resumia a "mamãe", "papai", "vovó" e outras palavras curtas.
Meu coração ficou pequenininho de te deixar na creche, mas foi tão bom para você. Você adorou desde o primeiro dia. Não chorou, se adaptou super bem e tinha dias que nem queria ir embora para casa.
Adora as tias. A mamãe se sente mais confortada em saber que as tias também te adoram. A tia Cris fala que ela chega em casa quebrada de tanto que ela corre atrás de você e do seu amiguinho João.
Já me falaram que todo Pedro era peralta, mas não imaginava que fosse tanto. ;)
Mas é tão bom ver que você é amado e se diverte à bessa com seus amiguinhos.
Hoje, você conta até dez (do seu jeito, mas conta) e eu me derreto quando você fala "Doisch xucos". (bem carioquês, mas você é paulista tá?)
Você reconhece as cores, apesar que tudo para você no momento é "bermelho" (vermelho)
Reconhece vários animais. 
O Scooby sempre escapa quando abrimos o portão e você aponta o dedinho (o dedinho mais gostoso desse mundo) para dentro e fala: Cooby dentro! Entra Cooby!
Você já acompanha as musiquinhas e já "canta" conosco. Na verdade, você só repete a ultima palavra da frase. 
Deixou de lado a Galinha Pintadinha! Que os anjos digam amém! Mas vou confessar que eu gostava da GP e ela me traz lembranças tão boas de quando você era pequenininho!

Adora assistir Show da Luna e Dora A Aventureira.
Gosta também de Cavalo de Fogo, mas assiste por causa do cavalo. Você é fascinado por bois, vacas, cavalos.
Nós fomos visitar a vovó e o vovô no feriado do dia 02 de novembro e passamos por vários pastos. Você ficou encantado por ver tantos animais. Mamãe falou que era a mamãe vaca, o papai boi e o bebê bezerro. E não é que você guardou na mente essa informação?
Depois quando você viu uma turminha de gado, você falou: Olha! Mamãe, Papai Boi e Bebê!
Foi tão fofo!
A viagem foi longa para uma criança da sua idade.Foram três horas de viagem e bem na metade, eu recebi um jato de vômito e fiquei toda molhada. Mas amor de mãe supera tudo isso... Nem me preocupei em estar "cheirosa" e sim, se você estava bem. Tadinho de você! Ainda bem que foi só enjoou da viagem.

Faz duas semanas que você está formando frases! Mas eu me surpreendi tanto!
Uma de suas últimas pérolas foi no dia da festa da família na escola. Você grudou no meu pescoço e falou:
– "Não qué ir mais pá iscola!"

Outro vez, você estava com febre. Mamãe falou que ia te dar um remédio para você ficar bom e você disse:
– "Não qué remédio, mamãe. Não qué!"

Sei que são pequenas conquistas, mas que deixa a mamãe feliz por ver você crescendo sadio. 
Ah! Você aprendeu a pular. E parece um sapinho pulando.
Está com 13kg de pura gostosura!
A última vez que medimos você, você estava beirando os 90 centímetros. Se você continuar crescendo desse jeito, rapidinho vai passar os 1,59m da mamãe.


Adoro a tua risada. Mamãe nem entende muitas vezes porque você ri, mas mamãe ri junto. Talvez anjos estejam te divertindo!
Apesar de você estar ampliando o seu vocabulário, mamãe ainda não entende algumas palavras, mas mamãe faz questão de parar e prestar atenção ao que você quer dizer.
Esses dias, mamãe mostrou uma foto da mamãe com um barrigão e falei que tinha um bebê na barriga da mamãe e era o Pedro.
Você olhou a foto, olhou de novo e foi ai que você entendeu. 
Passou dias olhando pra barriga da mamãe e falava "Baiga da mamãe" e dava altas risadas. É amor demais!
Faz dois meses mais ou menos que eu te tirei a chupeta. Deu uma dó, mas foi necessário.
Filho, há tempo para tudo. 
Hoje, nós estamos na fase do desfralde e um "Viva" bem grande para você porque você está indo muito bem. Estamos há um mês sem fralda durante o dia! Parabéns meu amor.
Estamos na fase também das birras. Mamãe confessa que pensa que vai surtar. Está difícil demais, mas eu creio que logo logo passa.
Mamãe te coloca no cantinho do pensamento quando necessário e você parece compreender e já fala "diculpa" quando mamãe pergunta se você vai fazer de novo.
O alvo do cantinho do pensamento é fazer birra, gritar, desobedecer, bater, cuspir, chorar sem motivo.
Filho, quero que saiba que mamãe ama demais você, mamãe só não gosta do seu comportamento. Você está testando seus limites e mamãe está aqui para te ensinar (com paciência e sem paciência às vezes, confesso) e te mostrar o caminho a seguir.
Desculpa por muitas vezes chorar. Às vezes eu não me sinto capaz de te ajudar nesse caminho. Sou mãe de primeira viagem e você filho de uma mãe de primeira viagem. Mamãe promete que vamos vencer toda essa inexperiência juntos. 
Filho, como eu te amo. E como eu desejo te conservar desse jeito do meu lado, embaixo das minhas asas. Fiquei brava quando vi um menino mais velho te empurrar. Meu lado leoa ficou muito brava! Eu vou fazer de tudo para te ensinar nos caminhos do Senhor, a ser honesto, a ser obediente e vou sempre te proteger.
É tanto amor que não cabe no peito! Obrigada por me escolher para ser a sua mãe. 
Você faz meu coração se aquecer de amor e meus olhos brilharem de felicidade!

Para você lembrar: 
11/11/2014 - 13 kg
11/11/2014 - 89cm
17/11/2014 - Começou a ficar sem fralda durante o dia (banhos e banhos de xixi)
08/09/2014 - Deschupetamento



Louco por Tecnologia
Desconfigura um telefone celular que é uma beleza :)






11 de novembro de 2014

Uma Carta de Aniversário Nunca Antes Postada

Sorocaba, 11 de Novembro de 2014

Ontem, antes de dormir, eu fiquei fazendo uma retrospectiva de todos os nossos momentos vividos até aqui. E deixei escapar um sorriso! Um doce sorriso...
Filho, o meu ser transborda de tanto amor...
Eu nunca me imaginei mãe. Sempre me achei imatura e incapaz de cuidar de outro ser totalmente dependente de mim. Ai você anunciou a sua chegada e logo pensei:
---Putz! E agora?!?

Senti medo! Fiquei insegura! Não me sentia feliz!
E que besteira não me sentir feliz! Foi um desperdício de tempo não me alegrar com a sua chegada!
Lembro como se fosse ontem de todo o seu desenvolvimento dentro de mim.
O primeira ultrassom e o som do tum-tum mais perfeito do mundo. E como eu me apaixonei! Tão pequenino e cabeçudo, mas era o meu bebê. O meu bebê apelidado carinhosamente de "prejuízo"!
A data prevista da sua chegada era 11 de junho de 2012, mas a data que a médica deu foi até dia 16 de junho de 2012.
Lembro o quanto engordei por você (bem, eu era gulosa e a culpa não era totalmente sua), deixei de fazer muitas coisas por você... mas de que importância tinha todas as outras coisas se eu não tivesse você? Você é o complemento mais importante!




Lembro do momento em que senti os seus chutinhos pela primeira vez! Você me deu um belo susto. Parecia que eu tinha levado um choque e não foi nada parecido com ondas suaves ou borboletas na barriga. Você veio como uma patrulha de choque ou até mesmo um raio.
E que pezinhos nervosos! Você detestava andar de ônibus com a mamãe. A cada lombada você me chutava como se estivesse bravo com a viagem. 
Na faculdade, você detestava a voz de uma professora. Vou confessar que não era só você que não gostava da aula dela. Todas as meninas da sala concordavam com você! E você só sossegava quando eu saia da aula. 
E nem vou falar que você era o príncipe da sala de aula, né? Tudo mulher e você era o rei do pedaço!

Posso falar o quanto você era ciumento?
Não gostava quando a mamãe abraçava o papai e logo começava a dar chutes. Muitas vezes na noite, papai pedia para eu me afastar porque você não estava deixando ele dormir. Meu boxeador!

O melhor de todos os momentos foi descobrir que você seria você. O meu Pedro. A promessa que o Senhor tinha me prometido quando eu ainda namorava o papai.
Quando eu fui fazer o ultrassom para ver se você realmente se mostrava, me falaram tanto que você era uma menininha por causa do formato da barriga, por causa das minhas espinhas e fiquei confusa. Não sabia de mais nada, mas lá no fundo eu sabia que você era um menininho. E quando a doutora me disse, eu ainda não acreditei e perguntei: 

--- Tem certeza?

E ela me mostrou a sua "identidade". Sai de lá com um sorriso maior que o mundo. Eu realmente estava feliz e queria gritar pro mundo inteiro ouvir que o meu Pedro estava ali dentro de mim.
A surpresa que eu tanto queria preparar para o papai não rolou! Mamãe é tagarela e não soube guardar segredo!

Quando você nasceu, eu me apaixonei quando eu te vi pela primeira vez. E como não se apaixonar? 
Você era o bebê mais lindo da maternidade. Eu não conseguia tirar os meus olhos de você. Tão lindo, tão perfeito e era todinho meu. Eu que gestei, que nutri e que pari!
Filho, como eu  te amo!
Comemorávamos todos os seus meses, não tínhamos bolo nem festa. Mas os céus estavam em festa pela sua presença aqui na terra. 
Aliás, eu comemoro todos os seus dias, todas as suas conquistas. 


Adoro quando você fala "mamãe" e "mamaaeeeee!"
Adoro o bico que você faz quando chora. Meu bico quadrado!
Quando te falamos "não", você faz cara de decepcionado e os ombros ficam caídos. E eu me derreto de amor. 
Quando o papai me abraça e beija, você entra no "meio" e me abraça mais apertado ainda e me enche de beijos"



O meu ciumento mais lindoooo! Tanta fofurice e amor! 
Menino, e como você me ama! Mesmo brigando e sendo chata com você, você não deixa de ser o meu chulé!

Eu tenho vontade de te amassar inteiro e te guardar eternamente pequenininho perto de mim. 
Eu sei que não posso ir contra a lei do universo e você precisa crescer, mas por favor, PÁRA DE CRESCER TÃO RÁPIDO!
Seria egoísmo meu querer-te sempre pequenino, mas eu me consolo ao guardar todos os nossos momentos dentro do meu coração e tatuado na minha alma!
Hoje você completa dois anos e cinco meses. Você é o melhor e maior presente que poderíamos ter ganhado. 


E eu sou tão grata, mas tão grata de você ter me escolhido para ser a sua mamãe. E eu sou grata ao Senhor por ter me dado você como meu filho.
Em toda oração eu agradeço imensamente ao Senhor por me permitir ser sua mãe e aprender com você.
Você é a melhor coisa que nos aconteceu. E como eu fui moldada pelo Senhor nesse tempo e como eu preciso melhorar e melhorar e melhorar.
Obrigada pelos melhores dois anos e cinco meses que estamos vivendo juntos.
Você tem tornado a nossa vida tão melhor e é impossível imaginar a nossa vida sem você. Você é a cereja do nosso bolo!

Obrigada mais uma vez por ter me escolhido para ser a sua mãe e me perdoa pelas vezes que demonstro ser desequilibrada e louca! Esse seu Terrible Two tem me deixado de cabelo em pé, mas vamos vencer essa etapa juntos. 
Vamos caminhar juntos! 
Aprender juntos!

Filho, parabéns por mais um mês de vida. E que venham muitos outros e que você continue a ser essa benção na vida de todos. Que o Senhor abençoe grandemente os seus dias.

Eu te amo e vou gritar pro mundo inteiro ouvir. 

Beijos

De sua Mamãe 

29 de outubro de 2014

Terrible Two e a Terrible Impaciência

Hoje falta exatamente 1 mês para meu aniversário de 27 anos.
3 anos e 1 mês para 30 anos!
Eu nunca gostei de completar aniversário. Não é nem pelo fato de ficar mais velha. É a lei da vida! 
Ficamos mais sábias!
Mais fortes!
Mais responsáveis!

Quando eu era criança, eu sonhava em casar cedo (casei aos 21 anos)  ter uma penca de filhos. 
Parece tudo tão fácil na teoria né? Sonhos de crianças parecem tão encantadores. Eles tinham até nomes. Acho que eu sonhava em ter 4 filhos. Não lembro mais, a memória não está a mesma. ;)
Mas uma coisa eu lembro. Sempre sonhava que tinha filhas gêmeas. Os nomes que lembro são Carolina, Paula e Paulina.
Ai eu cresci e as prioridades se tornaram outras. Casei e o sonho de infãncia de ser mãe nunca germinou realmente dentro do meu coração.
Nunca planejei em engravidar. Nunca tomei a decisão de parar a pílula. Nunca fui corajosa o suficiente. 
Porque para ser mãe tem que ser corajosa. Para ficar mais velha tem que ser corajosa. 
Putz! 27 anos! Um filho! Um casamento estável! 
E o mesmo sentimento de não gostar de aniversários!

Por que eu estou escrevendo tudo isso? Nem eu sei!
Eu fico assim perto do meu aniversário!
Mas o principal motivo é como eu me sinto como mãe! 
Está tão difícil! 
O Pedro nasceu com a minha personalidade!
Ele é birrento!
Ele é turrão!
Ele é explosivo!
Ele é teimoso!
Ele cativa a todos!
Mas ele puxou a mim!
E eu não sei como minha mãe me aguentou! Porque tem horas que eu não aguento.
Amor? Tem demais por aqui. Mas parece que está faltando algo por aqui. 
Eu me sinto uma mãe ruim. Por vezes eu cedo para não escutar os gritos, a manha...
Acho que agindo assim, eu consigo ter paz! Momentânea, mas paz!
E é errado!
Eu tenho tentado ensinar, mas eu também tenho o direito de ficar cansada.
A vida não é como aprendemos na escola em que nascemos, crescemos, nos reproduzimos e morremos. 
Só se for morrer de amor, de preocupação e de dúvidas.
Muitas vezes me senti a louca gritando "Pára Pedro!!!!!!!" mil e quinhentas vezes por dia.
Já falei que ia anunciar ele na OLX! Que ia devolver pra maternidade! (Brincadeira tá?)
Mas a última de hoje foi por causa do Pateta (Disney lembra?). Fomos comprar leite e ele viu uma massa famosa para mingau e lá tinha o Pateta na embalagem.
O que a mãe faz?

1. Pega a embalagem do mingau e coloca no carrinho do supermercado e a paz mundial foi restabelecida
2. Diz que não, porque ele não vai tomar aquilo mesmo e se inicia a terceira guerra mundial
3. Faz cara de alface e finge que não escuta
4. Tenta comprar a criança com chocolate
5. NDA

E a resposta certa é?

A primeira gente. 
Estou tão cansada que se ele quiser levar um elefante para casa ele leva.
Filho feliz, filho (des)obediente né?
Mas hoje eu comecei novamente a tática do cantinho da disciplina! Foi tão difícil. Ele chora, joga a cadeirinha longe, faz bico, chora de novo, pede colo e eu continuo firme (essa é a parte mais difícil).

E a partir de hoje vai ser assim.

Está vendo que eu não fico legal perto do meu aniversário? Comecei falando do aniversário e acabei falando da minha situação atual. É esse terrible Two que tá mexendo com os meus hormônios e com os meus neurônios.

Mas tem momentos bons também. O momento que ele tá dormindo é maravilhoso! Hahahaha
Mas também adoro acordá-lo com beijos e, sem abrir os olhos, ele começa a sorrir.
Quando eu vou colocá-lo para dormir ele me puxa pela mão e fala: "vamos mamãe!"
Adoro quando ele chega da escolinha e me dá aquele sorrisão de quem estava com saudades.
De quando ele só quer o meu colo.
São infinitos os motivos de amar o Pedro, mas vou te falar que o terrible Two acaba com qualquer encanto. 
E tomara que seja só uma fase e que passe voando assim como a minha idade tem passado!




27 de outubro de 2014

Chupeta Parte 1

Antes de começar o post de hoje eu quero falar para vocês que todos os dias eu sinto vontade de escrever, mas a rotina de casa é tão cansativa. O Pedro é muito bagunceiro. Como voltei a trabalhar (na verdade eu estou em preparação, não sei se quero voltar a trabalhar mesmo. É um novo projeto!), a bagunça de casa tem se acumulado. É um lava - enxagua - centrifuga - estende - recolhe - dobra (primeiro passa um ano em cima do sofá) e guarda. Por isso não tenho tido frequência por aqui. Eu tenho dado prioridade a organização da casa e isso tem me matado de canseira.
E sem contar a infinity preguiça, não é?

Mas vamos ao post de hoje!

Eu vejo sempre discussões na internet sobre o uso da tal chupeta. São discussões que viram até brigas, desavenças. Atrai um clima ruim. Eu não vim aqui para brigar. Eu vim expôr o que eu penso e como temos o arbítrio de escolha, de pensamentos, estou fazendo uso do meu arbítrio e vou respeitar a sua opinião também.

Eu fui uma criança que chupava chupeta. Eu não lembro desse fato, mas minha mãe conta que tirou a chupeta de mim antes de completar 2 anos. Acho que por volta de 18 meses. A minha irmã mais velha jogou a chupeta no rio que tínhamos próximo de nossa casa.
O meu irmão mais novo foi o que deu mais trabalho. Ele não aceitou chupeta e ele chupava dedo.
Um horror gente! Dedo fedido demais e sem contar que ele fedia a baba. Arg!

Quando eu estava grávida... Bem, na verdade, foi antes de sonhar em engravidar, eu tive a plena conviccção de que meu filho não chuparia chupeta. Eu não daria!!! Engano meu, hein?
Acho que nós somos muito radicais quanto ao que queremos em relação aos filhos. Eles não são crianças reprogramáveis que fazem o que nós queremos.
Hoje, a minha opinião é a seguinte: Não prometo fazer isso nem aquilo, pois não sei o que nos aguarda o amanhã.
Cuspir pra cima?
Às vezes acontece!

Em todas os ultrassons nunca vimos nenhum comportamento do Pedro que indicasse que ele chuparia chupeta ou dedo.
Até então eu nunca pensei nada! Nada mesmo!
Em algumas compras para ele eu comprei uma chupeta! E ainda comprei errada por sinal. (mãe de primeira viagem). Ela não era ortodôntica!
No chá de bebê da faculdade, o Pedro ganhou outra chupeta. Agora certa, ortodôntica do jeito que deve ser.

Ai ele nasceu! Chupeta nele? Sim!
Sabe por quê?
Acreditem ou não, mas ele chupava dedo!


CONTINUA.....

PS: Faz 1 semana que tenho tentado terminar o post. Sem condições.
Depois eu volto com a continuação.

Beijos







26 de setembro de 2014

Tag: Blogueira Por Amor (Vídeo!)

Oi meninas, tudo bem?
Fui convidada para uma Tag bem legal pela Fernanda do blog Que Roubou Meu Coração (que eu adoro, curto e sou fã!). Ela teve a ideia de responder a Tag por vídeo e euzinha, estou seguindo os passos dela. Vai lá curtir também! 
O meu vídeo tá meia boca porque gravei no celular e tentei dar uma melhorada. Prometo que os próximos saíram em melhores condições!
As perguntas estão logo abaixo para as que estão convidadas a participar. 
Espero que gostem!
Beijos

1. Como seu blog surgiu?


2. Por que você se considera uma pessoa que bloga por amor?

3. O que você acha sobre ganhar dinheiro com o blog?

4. Poderia deixar uma dica de como lidar com publicidade/ parceiros e afins no blog?




E as indicadas são:
Leny Alves - Meu Universo
Luísa - Linhas da Mamãe
&
Rafa - Com Ternura e Carinho

Não vou colocar o link, pois todas se encontram na lateral do blog.
E logo mais volto com a programação normal do blog e a saga do "Pais Maus" e o assunto da vez vai ser chupeta!
Boa Sexta-feira!!!

18 de setembro de 2014

Pais Maus - Parte 1

Quando tinha reunião na escola em que eu estudava e minha mãe ia, eu me sentia orgulhosa de ouvir os elogios que as professoras falavam de mim e da minha irmã. E é óbvio que minha mãe também.
Quando eu me tornei mãe, eu (por muitas vezes) me senti insegura em relação à educação que eu queria passar para o Pedro. Quando ele nasceu, eu tinha 24 anos com a mente de 18 (ainda tenho essa mente hahaha). Vou confessar que é um choque muito grande você ser responsável por outra vida. Ao qual você tem que passar valores que foram aprendidos durante toda a sua vida.
E vou te contar um segredo: não é tão difícil quanto dizem, mas também não é tão fácil quanto parece. E nem sempre é um mar de rosas.
Às vezes (quase sempre) eles te enganam dando a entender que não estão assimilando coisa alguma. Ai parece que a casa caiu.
Mas não se apavore! Tem solução!
O Pedrinho tem um gênio fortíssimo que (muitas vezes) fico pensando aonde eu fui amarrar o meu bode! 
Foi muito difícil chegar aonde estamos.
Meu segredo é: 
Não Grite! (Missão impossível número 1, porque provavelmente você vai gritar pedindo por socorro para te internarem num hospital psiquiátrico)
Não Bata! (Missão impossível número 2, porque aquele bumbum de porcelana vai merecer por muitas vezes)
E por último:
Muita calma nessa hora. Conte até o infinito e além cem. Eles estão aprendendo a ser independentes e é normal que teste os limites. Eles querem testar você para saber até onde lhes é permitido chegar.
Não devemos nunca deixar de dar amor, carinho, mas não podemos ser permissivos. Muitas vezes esculto os outros dizerem: "Deixa o muleque! Ele não sabe o que está fazendo!"
É isso mesmo Arnaldo? Devo deixar o muleque fazer o que quiser? Mas e amanhã, como será?
(Quinze Anos depois: Cadê a mãe desse menino?)
Se eu for permissiva hoje, será que estarei "criando" o cidadão do bem de amanhã?!?
Desde pequeno, eu ensinei o Pedro reverência na Igreja na hora sacramental (hora sacramental é aonde todos os membros de reúnem para ouvir os discursos, prestar testemunhos e partilhar do sacramento renovando assim os convênios batismais) e em seus dois anos e 3 meses, ele fica quietinho.
A criança não tira a reverência, pois sabemos que delas é o reino de Deus, mas é dever nosso, pais, a ensiná-las que ali é uma hora sagrada e que merece respeito.
Porque eu estou falando isso?
Porque estamos muito preocupados com o amanhã. Com o destino da água no planeta, com a inflação, com quem será o próximo presidente, na aposentadoria e estamos esquecendo de um detalhe importante: em ser um pai/mãe mau.
Mau? Sim, mau ao dizer "Não" quando for não. Ensinar valores esquecidos por serem caretas.
Eu não quero que meus filhos sintam vergonha em serem virgens quando a maioria não é, não quero que sintam vergonha por serem virtuosos e que tratem seu corpo como algo precioso.
Eu faço isso, eu vivo isso e quero que eles também vivam.
Estamos preocupados com o mundo que estamos deixando para os nosso filhos, mas esquecemos de lembrar qual a qualidade dos filhos que estamos deixando para a sociedade.
Já gritei? Já!
Já bati? Já! Mas não humilhei, não deixei marcas. Sabe aquele tapa de amor não dói?
Não é porque a Lei Bernardo tá ai que eu vou largar meu filho. Porque quando a belezinha estiver com 15 anos e a polícia "pegar" eles não vão perguntar idade. Falei alguma mentira? Essa lei só é válida para os pais, não para os de "fora". (Que fique claro que não concordo com pais/mães que tiram a dignidade dos filhos humilhando-os, batendo...)
Aqui rola respeito!
Quando eu estava grávida, eu vi um cartaz que dizia assim: Adote seu filho antes que ele seja adotado.
Essa frase me tocou profundamente. Por isso, todos os dias eu adoto o Pedrinho quando eu acordo e no final do dia eu agradeço imensamente a grande jóia preciosa que o Senhor me deu para cuidar, lapidar.
Seja uma mãe mau. Não seja uma mãe boa. Não diga sim para tudo. Os " nãos " da vida não vai matá-lo.
O Pedrinho é um onça-pintada. Ô menino difícil de " domar".
Por muitas vezes eu senti vontade se sumir. E me perguntava: aonde estou errando?
E um belo dia: ele simplesmente me obedeceu quando eu simplesmente falei: "vamos conversar com a mamãe?"
Essa é a frase que eu (mais) uso para levá-lo para o cantinho do pensamento. E olha, eu não preciso levá-lo porque ele já vai sozinho! Hehehehe
Ou muitas vezes ele fala que não e volta a ser bonzinho de novo.
Eu não estou tentando ensinar a  fórmula certa para ninguém, mas quero que você saiba que não está sozinha nesse barco. Muitas vezes esse barco parece que vai nalfragar, mas tenha fé e paciência que tudo se ajeita.
Então a campanha é: Dê amor, mas diga Não!
Seja um pai/mãe mau!
Para finalizar essa primeira parte, vou deixar um texto que a professora do Pedrinho leu na última reunião de pais e mestres.
Me senti tão orgulhosa do Pedrinho!



Pais Maus

"Sim, nossos pais eram maus. Eram os pais mais malvados do mundo.”
As outras crianças comiam doces no café e nós tínhamos que comer pão, frutas e vitaminas. As outras crianças bebiam refrigerante e comiam batatas fritas e sorvete no almoço e nós tínhamos que comer arroz, feijão, carne e legumes. E eles nos obrigavam a jantar à mesa, bem diferente dos outros pais que deixavam seus filhos comerem vendo televisão.
Eles insistiam em saber onde estávamos à toda hora. Era quase uma prisão. Mamãe tinha que saber quem eram nossos amigos e o que nós fazíamos com eles. Papai insistia para que lhe disséssemos com quem iríamos sair, mesmo que demorássemos apenas uma hora ou menos.
Nós tínhamos vergonha de admitir, mas eles “violavam as leis do trabalho infantil”. Nós tínhamos que tirar a louça da mesa, arrumar nossas bagunças, esvaziar o lixo e fazer todo esse tipo de trabalho que achávamos cruel. Eu acho que eles nem dormiam à noite, pensando em coisas para nos mandar fazer. Eles insistiam sempre conosco para que disséssemos sempre a verdade e apenas a verdade. E quando éramos adolescentes, eles conseguiam até ler os nossos pensamentos.
A nossa vida era mesmo chata. Enquanto todos podiam voltar tarde da noite com 12 anos, tivemos que esperar pelos 16 para chegar um pouco mais tarde. O papai, aquele chato, levantava para saber se a festa foi boa só para ver como estávamos ao voltar.
Por causa de nossos pais, nós perdemos imensas experiências na adolescência: Nenhum de nós esteve envolvido com drogas, em roubo, em atos de vandalismo, em violação de propriedade, nem fomos presos por nenhum crime. Foi tudo por causa deles.
Agora que já somos adultos, honestos e educados, estamos fazendo de tudo para sermos “PAIS MAUS”, como os nossos foram."

11 de agosto de 2014

UFC Baby

Esses dias nós fomos para a casa da cunhada jantar.

Aproveitei que era caminho da roça faculdade e resolvi tudo o que precisava naquele momento.
Pedrinho sempre foi muito querido por todos. Sem exceção!
Sempre foi amoroso e dado. Simpático e beijoqueiro.
Mas nesse dia, algo me deixou bem preocupada. Preocupada de rever se realmente vale a pena delegar a minha responsabilidade de educar meu filho. É claro que eu tento ao máximo educá-lo enquanto estou em casa e sei que entidade alguma tem esse dever. Mas, cá pra nós, escolas as vezes ferram com a educação (boas maneiras, comportamento) que os pais insistem em ensinar.
Eu sei que ficar em casa dando assistência integral ao filho é hiper importante, e precisamos estar presentes nos momentos mais importantes dos pequeninos.
Mas e eu? E a minha parte humana que precisa se socializar?
E sem contar que eu não gosto de ficar 100% dentro de casa presa aos afazeres domésticos.
Mas, voltando ao assunto...
O Pedro está caceteiro! (Dando porrada!)




O que eu faço?!?
Quando eu vi, chamei, conversei.
Mas eles nos olham como se não estivessem nem ai.
Eu até entendo ele empurrar e tomar tudo o que a prima menor pega. Por ela nascer sete meses depois do seu nascimento, gerou esse ciúmes. Mas começar a bater no primo mais velho sem motivos?
E ele ainda me enfrenta quando eu chamo a atenção. Me senti como se o cuspe tivesse caindo bem na minha testa.
Porque né, quem nunca julgou uma pobre mãe cujo filho era um pentelho?
E eu já presenciei cena semelhante com os filhos do outros e logo pensava: "cadê a mãe dessa criança?" (coitada da mãe!) 

Chamei o Pedro e conversei bastante. Estou adotando o método da conversa, nada de estresse, gritos ou palmadas.
Rola até abraços!
Quem sabe o abraço não cure essa fase, né? Não custa tentar!
Mas fiquei com a pulga atrás da orelha. Se ele não vê esse tipo de comportamento em casa, aonde ele viu?
Fui bater lá na creche!
Rodei a baiana! #SQN
No dia que fui falar com a tia lá da creche, sorte (sorte eu não sei) que o Pedro recheou a fralda e eu não ia entregar ele daquele jeito né!?! Ai perguntei se poderia trocar ele e como não quer nada perguntei se o Pedro estava batendo nos coleguinhas.
A resposta foi não!
Ufa! O coração da mãe aqui até aquietou-se!
Mas e ai, aonde ele aprendeu a bater?
Com Peppa? Pocoyo? Peixonalta?





Ai a tia, também como não quer nada, falou que tinha um coleguinha que estava batendo nos outros.
E vocês sabem que criança copia tudo o que vê. E quando vê o que não deve é ai que copia mesmo. E além desse que bate, tem outro que adora puxar a orelha dos coleguinhas.
Pedrinho, simplesmente aprendeu a se defender (ainda bem, porque a mamãe aqui era uma banana quando pequena).
Marido também falou que toda vez que ia buscá-lo, o Pedro mexia na orelha e falava dodói.
Você tenta educar seu filho, mas infelizmente têm umas mãediocas no meio do caminho!
Resolvido? Claro que não. Muitas outras coisas vão acontecer e vamos matando um dragão de cada vez!




PS: Dá para acreditar que comecei esse post na quinta-feira passada? Tempo... Tempo... Tempo! Parece que quando eles crescem exigem mais atenção. Agora tudo é "colo", tudo é " mamãe " e tá falador que parece que tomou água de janeiro como diz a minha mãe.

1 de agosto de 2014

Deu Sopa?

Eu como! Hehehehe

Imagem Cyber Coo

Clichê a parte, eu sempre adorei sopas. Principalmente no frio. 
Quando eu estava grávida, meu sogro fazia uma sopa de mandioca divina que eu repetia o prato duas vezes. E o Pedro (ainda na pança) vibrava de felicidade.
Aproveitei que o tempo tá meio frio (falo meio porque antes de ontem estava frio e ontem e hoje o tempo já dispensou agasalhos) e fiz sopa. Fiz o tal do caldo verde! Fiz do meu jeito e ficou divino.
Marido que não é muito fã de sopa repetiu o prato.
O Pedrinho? Fez charminho. Disse que não queria, quase derrubou o prato no chão de tanta malcriação. Não quis mesmo (naquela hora)!

Pausa

Alguém (pelamor) me diz quando essa fase rebelde vai passar please.

Porque né paciência tem limite.
Falou em tomar banho, ele já diz que não quer (Zé do Grude) e já aciona o dispositivo Adolescente rebelde.
Esperteia, chora (mas eu ainda acho que quem manda aqui sou eu)
#mamãeBobinha
Para sair do banho é outros quinhentos!

E na hora de comer não é diferente. Ontem foi um desses dias. Quando ele está com fome de "arroz e feijão", não venha com Tetê que ele enfia a mamadeira na sua guela abaixo. 
É papá mesmo!

Agora me fala quando essa fase passa?

Despausa

Sempre dou o jantar dele. Carnezinha, feijão, arroz e salada.
Mas eu queria algo diferente. Então vamos de caldo verde né?
Como ele não quis, deixei para lá. Depois faria qualquer gororoba e voilà!
Marido e eu comemos. Adivinha quem quis comer?

Isso mesmo. O espertinho!

Yummy! Yummy! Como tudo! Como tudo!
Em uma das refeições em casa!
Eu não tenho do que reclamar do Pedro porque ele sempre foi bonzinho em tudo. Sempre comeu, dorme bem. Quando preciso limpar a casa, ele fica quietinho sentado no sofá assistindo desenho.
O que me mata é essa malcriação dele. Mas passa né! [Ou não! :( ]



Querem a receita? 
A única coisa que eu não coloquei foi o bacon e nem 1/2 xícara de azeite. Eu refoguei a calabresa (não foi a portuguesa) em uma assadeira e a cebola e o alho no azeite em outra panela. Depois das batatas cozinhas e processadas, coloquei tudo em uma panela e acrescentei o couve picadinho no caldo e esperei uns 10 minutos.
Dica: eu não gosto de tudo ralo. Da próxima vez vou separar batatas cozidas em cubos para acrescentar à mistura. Sei que é caldo, mas vamos mastigar alguma coisa né? Porque eu ainda tenho dente! Hehehehe


Imagem Cyber Coo

22 de julho de 2014

Sentimentos

Lembro como se fosse ontem o dia em que descobri a gravidez. Lembro do susto que tomei. Foi necessário um mês para me "encontrar" novamente. E ai comecei a "aceitar" a minha condição. Não, eu nunca cogitei em me livrar do bebê e nem tinha pensamentos obscuros e negativos com a gravidez.
Lembro de chorar de fome e estar enjoada até o meu limite e muitas vezes me obriguei a comer por aquela sementinha que precisava crescer dentro de mim.
Não tive nenhuma gravidez romântica e sempre achei bizarro a ideia de um ser crescendo dentro de você e sugando suas energias. Parecia (na minha cabeça) coisa de ET, era meio alien.
Quando começou a mexer e aquelas ondas na minha barriga pareciam anacondas ou solitárias. Pois é! Eu falei que não me sentia maternal.
A gravidez foi passando e o instinto maternal ainda não habitava em mim.
Pensava: "Puxa! Porque eu não consigo me apaixonar completamente por ele?"
O dia tão esperado chegou! A cada contração eu pensava: "Vem Pedrinho!" "O Pedrinho logo estará aqui", mas (ainda) aquele amor avassalador não tinha chegado.
Ai nasceu! Não o vi assim que nasceu! Putz! 24 horas de dor me deixaram exausta! Lembro de sentí-lo sair e entrar em " órbita"! Fechei os meus olhos e descansei. Não sei ao certo por quanto tempo.
Não me trouxeram ele, afinal eu não estava em condições. Elas respeitaram o meu cansaço.
Tempo mais tarde lembrei também que não o ouvi chorar!
Malandro! Já nasceu sorrindo e encantou as enfermeiras! Paquerador o meu pequeno!
Marido que me falou quando perguntei se ele tinha chorado!
Lembro de pouquíssima coisa relacionada à hora que ele nasceu! Lembro do meu esposo vir correndo emocionado e me falar: "Amor, ele é muito branquelo e lindo" e me agradeceu pelo melhor presente que eu poderia ter lhe dado.
Ao lado da sala de parto tinha uma sala com uma janela enorme de vidro aonde eles cuidavam dos bebês que nasciam. Ergui minha cabeça ( minhas pernas estavam erguidas ainda) e tentei ver alguma coisa. Vi uma criança feia de cabelo espetadinho. Marido também falou que ele era cabeludo e era a única criança que eu conseguia ver.
Achei "meu filho" feio.
Sincera eu? Jura?
Não! Aquele não era meu filho! UFA!
Quando me levaram para o quarto, me trouxeram um pacotinho e mal tive tempo de olhar para ele e tiraram a minha "teta" para fora e tome mamar.
Peraí (deu vontade de gritar) ainda não chegou o instinto maternal!
O Pedrinho não queria saber desse instinto pois o instinto da fome era maior.
Puxa vida! Dá licença que a teta é minha e ter alguém me levando pelo corredor com elas a mostra não era bonito e nem confortável.
Chegamos ao quarto e lá tinha uma plateia esperando o Pedrinho. A vovó paterna babona, a titia paterna e duas primas de segundo grau (primas do papai também). E como eu senti o amor que tinham pelo meu filho.
E foi ali que também senti amor pelo meu pacotinho.
O instinto materno afinal já estava comigo há muito tempo, só precisava do momento certo para se revelar.
Por que estou falando desse assunto?
Porque não tem só um segundo dessa minha vida que eu não ame mais o Pedro. E ele veio no tempo certo dele para a minha vida e quão orgulhosa eu sou de ser sua mãe.
Hoje eu vi uma reportagem que me deixou muito triste. Uma criança de três anos morreu carbonizada. Que dor gente! Não consigo imaginar a minha vida sem o Pedro, sem o sorriso dele, sem ouvir a palavra mamãe.
Devia ser proibido a morte de crianças!
Eu só desejo que o Senhor conforte o coração dos pais dessa criança.
E que sirva de exemplo para nós, pois muitas vezes brigamos com os filhos por besteira. Deixamos de apreciar o sorriso deles, de apreciar o "mamãe" que sai dos lábios inocentes das crianças.
Hoje eu acho até desperdício de tempo dormir antes do Pedro, pois quero aproveitar cada suspiro dele.
O amor que sinto por ele é infinito e agradeço a Deus por essa herança maravilhosa!

Pedrinho, eu te amo meu Amorzinho!




10 de julho de 2014

Vergonha...

É! Faz tempo que não apareço por aqui. Nem adianta falar que não deu tempo. Porque todo mundo sabe né?
O Pedro completou 2 anos. Escrevi até uma cartinha para ele no dia do seu aniversário, queria ter postado, mas os dias foram passando.
Parece que quanto mais eles crescem, menos tempo nós temos.
Todos os dias eu tenho que arrumar a bagunça de casa (haja brinquedo espalhado), lavar roupa, lavar os pratos (aqui pra nós, estou de saco cheio de lavar mamadeira).
E o tempo não pára! Sábado passado, acordei disposta a reservar um tempo para escrever no blog, mas ai inventei de lavar casa, lavar roupa, quintal, janelas e até o cachorro levou um banho.
Quando fui ver a hora, eu já estava um caco de cansada. Ai a cria acordou, fui fazer o jantar.
E como esse guri come! Não adianta dar mamadeira na hora do jantar porque ele quer papar "COMIDA, mamãe". Já pega o pratinho dele, senta na mesa e fica esperando.
Já viram que o serviço é dobrado. Marido também tem cobrado tempo. E quem me dá tempo para mim, hein?
Ontem tivemos uma pequena conversa acalorada porque estava no zapzap com " azamigas" e é um momento que temos um pouco de diversão. E nunca deixo de dar atenção ao Pedro.
E sem contar que para fazer os afazeres domésticos, nós não precisamos dar atenção ao filhos né? Mas quando simplesmente queremos um pouco de convívio social (mesmo que pela internet) nos é proibido.
Mas a vida segue e eu no zapzap!
Voltando ao Pedro.
Está falante.
Ainda chupa chupeta.
Adora carne.
Fala pacas e eu não entendo quase ou tudo nada. Eu só concordo.
Adora escovar os dentes. Mas continua sendo uma luta para deixar com que eu escove.
É apaixonado por avião, caminhão, carro e moto.
Da última vez que o mecei estava com 88cm e pesava 13kg.
Adora dar beijo e abraço e eu amooo. Passa o dia todo me abraçando e beijando #adoro2
Comprei a camisa do Brasil para comemorar o jogo do Brasil e ficou um gatinho.
E adora bola....
Depois eu volto com a cartinha que escrevi para ele, sobre o quartinho dele e sobre o almoço que fizemos para comemorar o seu aniversário.
Estou sem computador, o meu notebook está cheio de vírus. Já mandamos formatar, mas acredito que não tem jeito. Ai só me resta o celular para postar e isso me dá um desânimo também.







2 de junho de 2014

E ela apareceu...

Ela sempre marcou presença todo mês e foi sempre pontual. Mais pontual do a proprietária.
Eu venho monitorando o meu ciclo desde janeiro. Nunca fui de ficar contando os dias, nem tinha a mínima ideia de quantos dias era o meu ciclo.
Agora o o celular novo, eu baixei um aplicativo que me diz quando estarei no período fértil (para poder passar bem longe só marido nesses dias) e o dia da minha ovulação.
Se tudo isso funciona? Por enquanto ainda não saberei. Quem sabe num futuro próximo eu faça uso dessa tecnologia, né?
Meu ciclo desde janeiro foi de 28 dias, mas eis que a Monstra se revoltou do 28 e esse mês deu as caras no 29° dia. 29 é o meu número favorito! Hehehehe
Mas baita sustão! Eu estava fazendo tudo certinho (quase) e ela me prega essa peça!





É para deixar qualquer uma louca! Assim que escrevi o último post, eu me senti estranha. Algo meio sobrenatural. Ia no banheiro a todo instante, me senti estranha igual as outras vezes em que aguardava a sua visita!
E como eu pressentia, ela veio!

Como eu disse no post anterior, ainda não é a hora de aumentar a família. Esse dia ainda virá, mas agora é o momento de conquistar mais coisas. Principalmente da minha parte!

Fica para um futuro distante a notícia de um positivo.







29 de maio de 2014

Putz! E agora?



Sabia que estava esquecendo de alguma coisa. Quando parei e olhei para esse aplicativo onde sempre controlo as visitas da Dona Monstra, percebi que ela está atrasada faz dois dias!
Sabe o que aconteceu a última vez que ela atrasou?


Isso!

Eu sei que... Bem, só sei que não sei de mais nada. Tomei o remédio certinho (bem, eu comecei na segunda, quando deveria ter começado no domingo), não houve "acidentes" e se tiver algo aqui dentro é porque mais uma vez o Senhor tem tomado decisões na minha vida.
Nós ainda não temos planos concretos para um segundo filho. Só sabemos que agora não seria o momento certo para nós.
Mas posso confessar uma coisa?
Me bate uma saudade de cheirinho de bebê, da barriga crescendo, da expectativa para saber com quem será parecido, o nome, o amor que só vai crescendo...

O que será que aconteceu da Dona Monstra não ter aparecido ainda hein?
Enquanto faço essa pergunta escuto algum bebê aos longe chorando!


Ui!
Deu até arrepio na espinha!

27 de maio de 2014

"A" de...

Amor?

Também!

Mas esse "A" é de aprovada. Sim, mesmo com tanta tribulação pré-prova, eu consegui! Apesar de achar a minha prova um pouco difícil. Mas acho que achei isso devido ao cansaço e ao estresse.
Quando eu cheguei ao local do teste, o portão já estava aberto e ainda eram 6 e meia da manhã(geralmente abre às 7 horas).
A fila estava enorme e eu fiz a prova na última turma formada. Me sentia uma Eu-Zumbi!
Sabia que tinha ido bem na prova, mas devido ao meu cansaço me coloquei em dúvida.
O resultado sairia na auto-escola segunda dia 26, mas falaram ao meu esposo que teria como saber antes no próprio site do Detran. Sou uma pessoa ansiosa, quero tudo para ontem, mas por incrível que pareça eu estava tranquila e disposta a esperar. Mas como tenho pressa de cumprir logo essa minha meta, eu fucei a internet de cabo a rabo e encontrei como saber o meu resultado e saiu nessa imagem linda:



Aprovada!!!

Assim que saísse do trabalho eu iria dar uma passada lá para marcar as aulas práticas. Mas liguei lá e faltavam 15 minutos para eles fecharem e é óbvio que não deu tempo.
Em comemoração a minha aprovação e alegria, rolou até mensagem para o marido:




Considerem a última mensagem. Meu editor de imagens do celular, não recorta a imagem do jeito que quero. Até o presente momento não houve pronunciamento do destinatário.

Como não deu para ir na auto escola, nós saímos para comer espetinho de carne!
Isso foi na quinta. Na sexta, precisava ir na faculdade para apresentar os formulários de estágio.
Ligo para meu esposo e fico sabendo que o Pedro não passou bem na creche e vomitou a tarde toda. Fiquei dividida, mas eu precisava mesmo ir na faculdade. Fui rapidinho e fui logo embora buscar o Pedro na casa da moça que fica com ele depois da creche.
Chegamos em casa, ele ainda vomitou mais uma vez. Tudo o que ele comia, ele vomitava. Fiquei desesperada e sem contar na diarreia que ele também estava. Meu esposo ainda estava trabalhando. Fomos dormir.
Marido chegou tarde.
Assim que meu marido se deita para dormir, o Pedrinho vomita na nossa cama.
Foi muito nojento! Nojento no nível: eu nunca tinha visto uma coisa dessa!
Mas como mãe é mãe, lá fui eu trocar tudo.
Sábado, eu tinha um cesto enorme de roupas para lavar e São Pedro só mandava chuva, nada de sol. Já imaginou, eu com um monte de roupa vomitada, lençóis e toalhas vomitadas no varal na minha lavanderia sem querer enxugar?
O Pedro já está melhorzinho. Sábado não teve nenhum episódio de vômito, mas era muita fralda trocada. E também não quis comer, ficou só na mamadeira.
Domingo já arriscou comer e já estava no normal dele. Pediu até para fazer cocô. Isso merece um post a parte.
Mas ontem, começou tudo de novo. Vômitos! Tive que levá-lo no PS e fiquei de molho em casa com ele. Nada de creche e trabalho. O pediatra plantonista passou um exame para ele fazer e receitou Dramin B6 para ele tomar. Foi diagnosticado com virose!
Por enquanto nada de vômitos. Mandei para a creche e fui trabalhar.
Mãe sofre viu! Nada de dormir direito esses dias. Tô me sentindo pior que o bagaço da laranja!
Mas não tem remédio melhor do que o ataque de beijos que recebi ontem antes de dormir! Me senti recompensada!

Novidades do dia/semana:
*Domingo fizemos um bolo.


Foi a melhor/pior coisa que eu já fiz. Melhor porque foi legal fazer com que ele participasse de algo rotineiro de casa.
Pior porque ele fez um espetáculo quando eu tirei a massa do bolo "dele" da vasilha para colocar na fôrma. O menino é dramático. Se jogou no chão e espertenou.
Se dependesse dele estaríamos até agora batendo o bolo.
Talvez eu repita a experiência! TALVEZ!!!

Ele se deliciando com o bolo "dele".




*Domingo eu medi o Pedrinho e ele está com 88cm.
Também o pesei por conta própria e ele está com 13,100 kg. Como ele estava com roupa de frio, vamos tirar uns 200 gramas do peso, ficando assim 12,900 kg.
Já que ele não vai ter mais consulta de rotina mês a mês, tenho que monitorar o peso sozinha. Fiquei tão viciada em ter que levar o Pedro mensalmente no pediatra que me bateu até uma depressão básica. Me senti abandonada!

*Falando em consulta - semana passada recebi um telegrama do posto de saúde referente a consulta mensal do Pedro. Como assim? Mês passado a própria pediatra falou que a consulta do pedro agora seria semestral. E agora vêm me cobrar a consulta de maio que não foi marcada. Preciso arranjar um tempo para ir lá. Dor de cabeça!

Doentinho Ainda

22 de maio de 2014

Continuando.....

Sei que prometi vir aqui assim que chegasse em casa. Mas, devido a minha sogra ter dormido em casa junto com o irmão a minha casa estava de pernas para o ar. A limpeza do final de semana já não existia mais. Então, como eu adoro ver a minha casa arrumadinha, o que foi que eu fiz?
Ops! Acabei de ver que estou confundindo os fatos. Isso eu fiz na segunda! Ô cabeça minha viu? Na segunda, eu lavei todos os cobertores e limpei minha casa novamente! Haja trabalho que não acaba!
Bem, na terça, cheguei em casa mais cedo que marido. Aproveitei para tomar meu banho sossegada sem ter alguém querendo derrubar a porta. Liguei o computador disposta em dividir o meu tempo entre escrever no blog e continuar com o relatório de estágio da faculdade.
Mas quando eu vi aquele monte de formulário para preencher, adivinha quem venceu?
Lá vou eu "disposta" a terminar o preenchimento daqueles formulários ainda naquela noite, mas não deu. Um saco aquilo tudo!
Ontem, cheguei do trabalho e adivinha quem foi dormir de novo lá em casa?
Ela foi direto para minha casa, mas como não estávamos em casa, ela "baixou" lá no trabalho do meu marido.
Foi lá que soubemos da "notícia". Mas antes de irmos para casa, ainda tivemos que passar na casa de uma amiga de longa data dela, que aliás queria nos oferecer um baquete como jantar. Pedrinho, àquela hora já estava chato de tão cansado.
Fomos para casa e deixamos a sogra lá matando a saudade da velha amiga. E eu dei aquele tapa na casa para quando minha sogra chegasse.
Pedrinho dormiu. A mamãe aqui foi dormir e nada da sobra sogra chegar. Marido ficou esperando. Acabou não aguentando e saiu atrás da mãe.
Olha gente, nada contra a minha sogra. Ela é uma ótima pessoa, temos nossos problemas, eu acho que ela gosta muito de abusar da nossa boa vontade, mas tem horas que eu detesto essa invasão de privacidade. Eu sou egoísta sim!
Não gosto que mudem a minha rotina, que baguncem a minha casa, que se metam nas decisões que eu e meu marido temos que tomar.
No domingo era planejado que somente ela fosse dormir em casa. Foi combinado que o irmão dela iria aparecer lá em casa às cinco horas da manhã para deixar o carro dele conosco (um prêmio antigo, sem aquecimento e lento para andar) e seguiria viagem com ele com o nosso carro. Mas a anta criatura apareceu lá dez e meia da noite quando estávamos prontos para dormir. Senti vontade de mandar ele embora e voltasse na hora combinada.
Mas marido que é super gente boa para a família foi logo falando que o tio poderia dormir ali de boa e o resto da história vocês já sabem.
Noite mal dormida, estresse, canseira o dia todo. Mal me concentrei no teste do Detran, meu dia no trabalho rendeu pouco.
Essa noite, mas essa da minha sogra! Temos tido o hábito de dormir no mais tardar 10 horas da noite e minha sogra aparece meia noite.
Minha sogra tem bola de cristal!
Porque quando não queremos que ela apareça ou temos outros planos, lá está ela para atrapalhar tudo!
Sei que nenhuma família é perfeita, mas se juntar a minha família com a do meu marido, nós estamos ferrados!
Mas pelo menos essa noite somente a minha sogra dormiu lá em casa e ela não tem o costume de ir ao banheiro durante a noite e se foi, (sinceramente?), eu estou tão cansada dos últimos dias sem dormir direito que acho que entrei em coma essa noite porque eu não vi nada!
Sábado ela estará indo embora (que os anjos digam amém) e que outras oportunidades dela dormir lá em casa demorem muito a aparecer!
Ah! Eu já sei o resultado da prova, mas volto amanhã contando! (Sem falta!)
Beijos meu e do Pedro!

A história de Pedro e Mamãe

A história de Pedro e Mamãe