13 de fevereiro de 2014

Pedrinho e a Creche (20 meses)

Isso aqui tá meio abandonado, mas a vida anda tão corrido. Com a novidade da creche, eu tenho acordado todos os dias às 06h30 da matina para poder levar o Pedro na creche.
Me perguntaram lá no facebook se a saga da creche do meu bairro acabou. Não gente, não acabou.
Final do ano passado a prefeitura criou o Cadastro Único. As mães teriam que ir em um Centro de Ensino Infantil (CEI) e fazer lá o cadastro. Mas esse cadastro seria válido somente para crianças que não estavam matriculadas na rede de ensino. E o Pedro estava matriculado. 
E agora José?
Liguei lá e fiquei enchendo o saco. Porque eu não queria (mais uma vez) que meu filho ficasse fora da creche por mais um ano. A secretária de Educação me garantiu que o Pedro seria encaminhado a outro CEI perto de casa e que eu esperasse um telegrama até fevereiro. Morri!!!
Fui logo pensando que não ia dar certo e que era papo furado!
E não é que o telegrama chegou no final de janeiro?
Lá estava escrito que era para comparecer a uma escola aqui perto de casa que haveria uma reunião.
A creche do meu bairro não ficou pronta e só xuxa sabe quando é que vai ficar. Tem muitos boatos envolvendo a unidade. De que está com uma rachadura enorme em uma parede e até de que ela vai ter que ser demolida. 
Verdade? Ninguém sabe e ninguém da prefeitura fala sobre o assunto.
Um CEI em outro bairro foi inaugurado segunda-feira que passou e é lá que as crianças do meu bairro foram encaminhadas. O Pedrinho também está lá.
Em consequência, a prefeitura não abriu inscrições para as crianças daquele bairro. Cobriu um santo e descobriu o outro!
Ficaremos lá até a creche do meu bairro ficar pronta. Mas já falei pro marido que como a onda de azar ronda sempre no meu quintal, eu vou deixar o Pedro frequentar a outra unidade até eu sentir segurança de transferi-lo para a creche daqui do bairro.
Por enquanto, essa semana está sendo a semana de adaptação. O Pedro entra às oito da manhã e sai às 10. Horário de louco, pois chego em casa e uma hora e meia depois tenho que estar lá para buscá-lo.
Falo uma hora e meia, pois a prefeitura tem disponibilizado um ônibus escolar para levar as crianças. E eu como não quero incomodar o marido, acabo levando o Pedro de busão. Acabamos tendo que sair mais cedo e eu tenho que sair de casa para pegar o busão meia hora antes da saída dele. Apesar que daqui da minha casa para a nova creche dá cinco minutos de carro/ônibus escolar.
E os primeiros dias da creche foi assim:
Eu confesso que fiquei com medo da reação dele, mas...

Quando fui buscá-lo, ele recebeu elogios demais das professoras.
Elas estão adorando o Pedro.
Pensei logo que ele não tinha chorado por ser o primeiro dia, mas ai veio o segundo dia....

Ele acordou cedo e ficou logo querendo ir para a Creche.
Quando fui buscá-lo, ouvi mais elogios novamente. Ele estava cantando e dançando com as tias. Agora ele adora as tias. Não chora e assim que chega já
vai logo entrando e esquece que tem mãe ;)
Mas quando eu chego para buscá-lo é uma felicidade sem tamanho. É abraço e beijo que eu adoooroooooo!
E fica falando "mamãe" diversas vezes. Até parece que ele faz isso para ver se é realmente real eu estar ali com ele.
Hoje foi mais um dia de felicidade. Ele tem reagido melhor do que eu esperava. 
Mas não está sendo fácil, porque a cabeçuda aqui vai dormir tarde e acorda cedo para levar o Pedro e não dá tempo de dormir mais. Dou uns cochilos durante a tarde, mas não é a mesma coisa. 
Semana que vem o horário vai ser mais estendido. Ele vai ficar até meio dia e a partir da terceira semana até as 17 horas.
Vou te contar que eu pensei que ficaria com remorso de deixar o Pedro na creche, mas depois que eu vi a reação dele, fico feliz de ter a mente aberta e deixar o meu peixinho conquistar o seu próprio espaço ao sol!
Primeiros dias na creche


A história de Pedro e Mamãe

A história de Pedro e Mamãe