9 de dezembro de 2015

Insônia Forçada

01:22 da Manhã

Desde que me deitei para (tentar) dormir, já levantei umas 500 vezes.
Pedrinho pediu mamadeira...
Pedrinho tirou o "curativo" da ferida (ele não pode ver um cascão)
O chuveiro do banheiro começou a vazar água, levantei para fechar o registro mais um pouco.
Levantei porque estava com azia
Levantei porque ao redor do meu umbigo estava coçando muito, passei um creme que não resolveu nada
Levantei de novo porque o Pedro queria ir pra cama dele (ele estava na nossa cama)
Levantei novamente porque Pedrinho ouviu o ronco do pai e me chamou.
Agora são 01:25 da manhã e ainda estou acordada com o celular quase descarregando e meu marido roncando no meu ouvido (ele está cansado. E cansado ele ronca mesmo)
Agora eu fico pensando, se eu sobreviver a essa "falta" de sono ou a privação de um sono de qualidade nessa gravidez, estarei pronta para encarar qualquer RN.
Porque isso tudo só pode ser algum tipo de teste...
Teste de resistência...
Ou de paciência!!!

Já vou levantar de novo. A azia de novo! Ela não me larga desde o começo da gravidez. Tá punk!!! Vou tentar o remédio da azia que o médico receitou, que não resolve nada... mas vou na fé que vá adiantar alguma coisa....
34 semanas e estou cansada de não dormir, cansada dessa azia, cansada de me sentir cansada...
Bom dia!!!

3 de dezembro de 2015

33 semanas / Consulta e Ultrassom

E estamos com 33 semanas! Agora faltam 7 semanas!!!
Essa gravidez voou! Esse final de semana que passou, reencontrei pessoas que vi pela última vez quando eu estava no começo da gravidez e parece que foi há tanto tempo e agora já estamos na reta final! 
Bem, tivemos a consulta na clínica de especialidades. Perguntei dos riscos pro médico e ele disse que os piores riscos já passaram e a minha taxa de alteração da tiroide deu uma alteração mínima. Ele não quis falar dos reais riscos daqui pra frente e eu também não quero pensar negativo. 
Daniel está ótimo, o médico falou que eu engordei o necessário pra gravidez. Ao contrário da minha outra médica que dizia que eu estava engordando demais. Mas eu entendo o lado dela, quando menos você engordar, melhor vai ser a hora do parto e a recuperação e a volta pro peso anterior. 
Eu queria ter engordado no máximo uns 7 quilos, mas já que não foi possível, não vou me frustrar e nem me culpar. 
Essa semana se resume em: Estou cansada! 
Um cansaço fora do comum, não aguento ficar muito tempo em pé. Meu corpo pede descanso. Mas como fazer com uma criança de três anos que não tem mais aula? 
E eu estou bem menos participativa nas brincadeiras que ele quer fazer. Às vezes ele entende que a mamãe está cansada e muitas vezes não. Ele fala que a mamãe não pode ficar cansada! ; (
Eu nunca pensei que ficaria desse jeito porque na gravidez do Pedro eu fui ativa até o último dia. Agora só quero cama! Quero dormir, mas não consigo!!! Deito, durmo meia hora de tarde e já acordo sem sono. Estou com medo do cansaço que vou sentir no pós parto. 
Bem, voltando pra consulta. O médico passou remédio pro controle da tiroide, passou mais exames que devo fazer somente daqui a uma semana e meia (tenho que esperar duas semanas após o começo da medicacão) e um ultrassom que fiz na ultima terça-feira. 
Daniel continua cefálico, com dorso à direita, e uma perninha de cada lado da minha barriga (ele é ginasta já hahaha), está com 2,823 kg (pára tudo, eu sei que tem margem de erro, mas na semana que estou, todos os sites dizem que o bebê tem aproximadamente 1,800 kg) e pelo tamanho do fêmur dele, eu achei um site que dá o tamanho aproximado do bebê, ele está com 47 a 49 cm já.

Eu fiquei assustada quando a médica falou do peso dele, mas ela disse que ele não é um bebê gordo, mas um bebê grande, cumprido. 
Minha vontade de ter um bebê pequeno se foi por água abaixo. Marido tem 187cm, então bebês pequenos não rolam por aqui. 
E pelo ultrassom, o Daniel é compatível com um bebê em idade gestacional de 36 semanas (e ainda estamos de 33 semanas). 
Aproveitei que sai da toca pra fazer o ultrassom e fui comprar mais algumas coisinhas. Comprei as fraldas de pano e já estão na costureira. Comprei três bodies de manga comprida (não tinha mais estampas e tinha bodies lisos) e comprei uma toalha de banho com capuz forrada com fralda. 
Não aguentei andar em outras lojas, o dia estava bem quente e abafado e eu estava muito cansada. Preferi voltar pra casa. 
Semana que vem, volto no centro com o marido (e de carro, não aguento andar de ônibus. Me sinto sufocada) para comprar as roupas que faltam e alguns outros itens vou deixar pra comprar final do mês. 
Como estou muito cansada, essa semana não vai rolar lavar as roupas do Daniel, pois quero lavar na mão. Vou deixar para semana que vem. Aí já passo, guardo e arrumo a bolsa da maternidade. 
Sábado passado, comprei uma manta de microfibra fininha numa loja de departamento aqui da minha cidade (Havan), foi R$ 29,99. Pretendo comprar mais duas mantas para sair.





Manta de microfibra "Carrinhos"

E parte da barriga de 33 semanas

Toalha de banho com capuz e com forro de fralda

Bodies manga longa (únicas estampas disponíveis)
Estão vendo que as coisas por aqui andam a passos lentos. Ontem eu fiz uma contagem do que temos de enxoval e cheguei a conclusão de que precisamos de mais bodies de manga curta e mijãozinho. Só para não correr o risco do Daniel ficar sem roupa, caso janeiro seja um mês de chuvas. Confesso que eu adoro escolher as coisas pro Daniel, mas estou tão cansada e sem paciência de ir de loja em loja. Essa reta final está me deixando bem impaciente. Ah! Cheguei a conclusão que esse cansaço absurdo é, provavelmente, efeito colateral do remédio pra tiróide. Dia 21 tenho consulta e veremos! Ah! Perguntei pro médico se poderei tentar o PN e ele mandou eu ter calma que ainda chegaremos nessa parte. Soube que ele não é cesarista e isto me deixa mais tranquila.
Mas pode vir o normal ou não, o importante é o Daniel vir com saúde!!!
Nem vou prometer qual vai ser o próximo post porque já estou devemos bastante coisa pra vocês. Fora o enxoval do Daniel que foi do Pedro. Ah! Agora vocês vão ter que ter paciência porque estou sem notebook, marido emprestou pro trabalho dele e sabe-se lá quando o terei de volta!
E domingo entraremos na semana 34!!! Vou tentar ter ânimo e trazer fotos pra vocês! 

26 de novembro de 2015

Enxoval do Daniel Segunda Parte

Estou aqui assistindo novela mexicana e cheguei a conclusão que esse povo chora demais! Cadê a felicidade?
E Daniel pelo visto também não gostou, porque ele está aqui dentro remexendo como se dissesse: "me larga que eu vou trocar de canal" hahahaha

Mas eu não vim aqui para falar da novela e nem para falar daquela louça na pia me encarando.
Hoje eu vim falar sobre o enxoval do Daniel! 
Obaaa! Até que enfim!!!
#todascomemora!!!
Sabem porque eu demorei tanto? É porque eu tinha (tinha, ok?) que fazer montagem com as fotos, mas me bateu uma preguiça que algumas fotos vão sem montagem mesmo. Eu não estou numa fase muito boa de paciência.
Como eu falei no vídeo para vocês, aqui na minha cidade tem pouca variedade de roupas para meninos e as que tem pouco me agradam. E eu estou bem seletiva nessa gravidez. Não estou comprando tudo o que eu vejo pela frente e estou comprando o que eu realmente sei que o Daniel vai usar.
Quem vê o enxoval do Daniel, acha pouco tudo o que eu comprei até agora. Eu pretendo comprar mais alguns mijãozinhos e bodies, mas somente isso. Porque os bebês crescem muito rápido nos primeiros meses e seria um desperdício de dinheiro no momento. Preciso poupar dinheiro para o inverno que vem, pois roupas de frio costumam ser caras.
Mas o enxoval está mais ou menos assim:
bodies e mijãozinho à vontade (isso depende do clima da sua região. Aqui chove bastante no mês de janeiro e as roupas tendem a não enxugar direito e eu não quero correr o risco do Daniel ficar sem roupas)
Macacões para sair e para ficar em casa (guardei os macacões do Pedro e pretendo comprar somente uns 3 macacões para o Daniel sair)
Mantas (ainda não comprei nenhuma, mas pretendo comprar somente 4 e serão mantas leves por ser verão e ainda tenho uma manta de inverno do Pedro que ficou pro Daniel)
Calças Jeans (eu acho um charme bebês de calça jeans. Pena que eu dei as do Pedro! Mas pretendo comprar somente duas para poder passear e sair um pouco do uso do macacão)
Sapatos e sandálias (Temos duas sandálias e um sapato que foram do Pedro. Pretendo comprar somente uma sandália de verão e um sapato para o Daniel poder usar com calça jeans)
Toucas e Luvas (Não pretendo comprar porque acho desnecessário por ele nascer no calor e se for necessário usar, eu ainda tenho uma sacola com toucas e luvas que foram do primo e do Pedro que nunca foram usadas pelo Pedro. Estava vendo hoje que o Pedro nasceu com o perímetro cefálico de 35 cm e nenhuma touca que eu comprei couberam nele. Será que o Daniel terá um "cabeção" também?)
Camisetas (eu só comprei três e mostrei em vídeo. Mas são regatas para serem usadas em casa, quando chegar o momento de usar camisetas, eu vou lá e compro)
Banho de sol ou macacão regata curto (Eu só comprei um macacão curto e pretendo comprar somente mais uns dois.)

Eu por enquanto, estou focando em roupas de tamanho P que serão usadas nos dois primeiros meses. Ainda vamos comprar uma cômoda para colocar as roupas do Daniel, por isso que não estou exagerando na quantidade de roupas porque ainda não temos espaço para guardar tantas coisas. Decidi que iremos montar o berço após o nascimento do Daniel por conta do espaço e também para não ficar acumulando poeira. Mas eu estou louca para ver tudo montado e esperando ver aquele pedacinho de gente dentro do berço, dentro das roupinhas! Como não vamos poder pintar a parede em que ficará o berço, eu pretendo colocar umas prateleiras e fazer uma decoração simples. Quando tudo ficar pronto eu mostro para vocês. Mas vai ficar lindo. Tudo simples, mas feito com muito amor!
Mas chega de falação e vou mostrar para vocês as primeiras roupas que compramos pro Daniel e as roupas que são heranças do Pedro.

 
 Esse primeiro conjunto parece um pijama, mas não é. Eu acho que criança tem que ser vestida como criança. Por que eu estou falando isso? Porque eu vejo muitos pais vestindo as crianças como adultos e eu não acho legal. Eu estou achando dificuldade em comprar as roupas pro Daniel justamente por isso. É muita gola polo, muitas cores neutras e nada de estampas. Vamos respeitar as fases das crianças. Às vezes é bonito colocar uma roupa mais social na criança, mas não sempre. Daniel vai usar golas polos sim, mas para passear conosco ele vai vestido como a criança que ele é.
O macacão azul foi o primeiro que eu comprei. Comprei no dia que descobri o sexo do Daniel e para fazer a surpresa pro papai no dia dos pais. 
O conjunto e o macacão são tamanho P. O conjunto foi R$ 17,50 e o macacão foi R$ 9,90. Eles são de tecidos bem leves de algodão.

 Os bodies são outra dificuldade para comprar. Eu não encontro bodies com cara de criança. A maioria são lisos ou de listras. Ai, dando uma olhadinha na internet (Adoroooo) eu encontrei esses dois kits de bodies. Os três primeiros da primeira foto foram R$ 26,90 e os da foto abaixo com tema marinho em regata foram R$ 29,90.
O body da primeira foto com a frase "gatinho como o papai" eu comprei no dia que descobri o sexo do Daniel e fez parte da surpresa pro papai. A moça tirou a etiqueta do preço, mas foi R$ 9,90.
Quem quiser o link dos kits de bodies é só deixar nos comentários que eu passo para vocês.

 Lembra que falei de listras nos bodies? Eu acabei comprando uma. Esse body de listras foi R$ 9,90 e o da girafinha com hipopótamo foi R$ 6,50. O body liso azul foi R$ 18,90 e o branco foi (se não me engano) R$ 6,50. Eu não vou lembrar o preço de todas as roupas, porque já faz um tempinho.
Mas eu tento comprar roupas de algodão leve e que não vão "deformar" com as lavagens. Os bodies mais "homenzinho" eu comprei para o Daniel usar nos dias que formos pra Igreja. Já imaginou esse body azul com calça jeans? Vai ser de apaixonar!


O Daniel tem mais de 15 mijãozinhos (entre novos, herança do Pedro e alguns que ganhamos de doação) O preço dos bodies da primeira e segunda foto variam de R$ 4,00 a R$ 8,00. O body da segunda foto é tamanho M e foi R$ 6,50. É de um tecido bem fraquinho e daqueles que desbotam, mas para usar em casa está ótimo. 
Eu pretendia começar o enxoval comprando roupas tamanho P e M, mas devido às circunstâncias (diga-se dinheiro) e à dificuldade de encontrar roupas legais, eu decidi comprar somente roupas de tamanho P.
Minha sogra e cunhada deram alguns presentinhos pro Daniel que vou mostrar em outro post porque preciso tirar foto ainda e tem alguém (vulgo Pedro) com o meu celular :)
Eu me arrependo de não ter começado o enxoval mais cedo. Não fui antes pela preguiça de sair de casa e porque o meu marido sempre me mandava esperar um pouco. Agora estamos correndo para dar tempo de deixar tudo preparado. Uma loucura! Parece que os nove meses não são suficientes.
Semana que vem estarei indo novamente no centro da minha cidade e vou comprar o que falta de roupas. 
Lembram que falei que iria para São Paulo com a minha sogra? Acabou que não rolou e foi até melhor desse jeito. Só me estressei, mas passou e bola pra frente!

Como este post já está enorme, depois eu vou mostrar as roupas que foram do Pedro. 
São macacões que foram usados somente uma ou duas vezes e (pasmem) achei um que ele nem usou. Já comprei também a saída da maternidade. Eu não coloquei foto aqui, mas também temos meias novas e algumas que foram do Pedro.
Fico me perguntando porque não guardei mais coisas do Pedro. Principalmente os bodies de manga longa ao qual eu não encontro do jeito que eu quero. Os que eu encontro, estou achando o tecido grosso e queria um tecido mais leve. Mas tenho fé que vou encontrar!

E para terminar o post, temos uma boa notícia!!!
Me ligaram da clínica de especialidades e teremos consulta amanhã!!! 
Com essa crise que o Brasil tem enfrentado, os municípios também estão na mesma situação e aqui a área da saúde foi bem afetada. Para vocês terem ideia, a minha consulta foi marcada para seis e meia da manhã porque eles abriram uma nova agenda para atender a demanda.
Mas agora falta pouco, Daniel está mexendo pra caramba. Ele mexeu tanto ontem que fomos dormir 3 da manhã!!! 
É Daniel me apertando aqui dentro e Pedrinho me apertando aqui fora!!!
Só sei que (por mais que eu queira sumir às vezes) eu não vou negar que sou louca por esses meus meninos. É amor pra mais de metro!!!

Deixa eu ir encarar a TE-RA-PIA cheia de louça que está me encarando!!! hahahaha
Gaveta provisória do Daniel - Tem bem mais roupas e não está mais arrumadinho desse jeito!

Beijo meninas!!!


32 Semanas + Gravidez de Alto-Risco

E dia 17 tivemos a nossa sexta consulta de pré-natal. A médica, como sempre um amor. Estava mais amorosa do que de costume. Era "meu anjo" e "meu amor" para todo lado.
Ela estava feliz! Que bom hein?


Antes de fazer os procedimentos padrões, já fui me justificando de que comi tudo integral como ela "mandou" (porque ela não sugeriu, foi uma ordem). Porque eu estava com medo da balança! hahaha
Eu precisava me defender antes.
Apesar que eu dei umas escapadas. Comi bolo de chocolate (duas fatias) e comi torta de banana que marido pediu para eu fazer. Comi mais de 4 fatias, mas em dias diferentes. E como eu tenho que fazer o arroz integral só para mim, confesso que fiquei com preguiça várias vezes e acabei comendo o arroz branco normal, mas somente duas colheres de sopa.
E eu acho que aquela balança vive me trolando porque eu juro para vocês que tinha certeza de que tinha engordado uns três quilos de novo.
E para a minha surpresa, eu mantive o mesmo peso do mês passado. Interferência divina? hahahaha
Recebi um "PARABÉNS" bem grande e a recomendação de continuar comendo direitinho. Ah! Se ela soubesse! hahahahaha
Fiquei mais feliz do que pinto no lixo pelo parabéns!
Mas ai chegou a parte dos exames que ela tinha solicitado na última consulta. E para a nossa alegria, foram finalmente os exames do terceiro trimestre! Porque eu não aguento mais fazer jejum pros exames.
Mas como nem tudo são flores, encontramos a razão do meu ganho de peso repentino.
Ela pediu três exames diferentes (que não são protocolos no SUS) o de Sódio, Potássio e o TSH.
Os de sódio e potássio estavam dentro da normalidade, mas o TSH que medem os hormônios da tiroide (ou Tireoide?) deu alteração. Fui diagnosticada com hipotiroidismo.
Estou com hipotiroidismo desde o começo da gravidez e não sabíamos. Até agora o que tem nos sustentado realmente é o Senhor. Não tenho dúvidas disso, pois o hipotiroidismo é bastante perigoso para o bebê. Um dos riscos é o aborto no começo da gravidez e passamos por essa fase.
Ainda há riscos de parto prematuro, bebê de baixo peso... Esses são apenas alguns dos riscos...
Eu não quero falar mais sobre esses riscos porque eu tenho procurado não pensar neles. 
Estou certa que o Senhor está no comando de toda a minha gestação e Ele vai nos acompanhar até o nascimento do Daniel. Ele está nos protegendo!
A médica nos encaminhou para o pré-natal de alto risco. Logo agora no final da gestação, encontramos essa "pedrinha" no caminho. Eu estou esperando uma ligação da clínica de especialidades para saber quando será a próxima consulta de pré-natal. Agora é só ter paciência!
Na consulta eu me queixei de dores na região pélvica quando eu fico muito tempo sentada. A médica apalpou a região e disse que o Daniel está em posição cefálica, mas ainda não está encaixado.
Eu tenho a leve impressão que ele não vai esperar janeiro chegar!
Desde a última consulta eu tenho permanecido somente no pão integral, deixei de fazer o arroz, mas preciso me redimir e voltar para a "dieta".

Agora uma foto da semana 31


32 Semanas
Os sintomas continuam os mesmos. A azia às vezes vem, às vezes vai embora. Depende muito do que eu como. Quando eu como pão normal, alguma massa ela vem com força total.
Esse último trimestre tem sido bastante cansativo. Eu costumo dormir bastante. Bateu a oportunidade, lá estou eu dormindo. O Pedro tem ido para a escola e buscá-lo tem sido bem doloroso às vezes, pois a caminhada de 5 minutos agora se tornaram 15 minutos. #patachocafeelings
Pedro tem dado bastante trabalho. O comportamento dele (ou a falta) tem me deixado sem paciência. Muita birra, desobediência, choro sem motivo... Isso são só algumas coisas que ele tem feito diariamente. Fora a carência fora de controle que ele tem demonstrado...
E eu? Muitas vezes quero sumir do mapa. Esquecer os problemas, ter um tempo pra mim, esquecer o peso da responsabilidade...
Já pararam pra pensar o quantos nós, mães, temos uma responsabilidade sobre as nossas costas?
A gente acaba cuidando de todo mundo e muitas vezes ninguém cuida de nós...
Eu também estou bastante emotiva. Acho que são as circunstâncias que tem me deixado assim.
Semana que vem estaremos terminando o enxoval do Daniel e já vou começar a lavar as suas roupinhas e preparar a mala da maternidade.
Hoje o Pedro perguntou quando o Daniel iria chegar e daqui a oito semanas teremos mais um bebê para alegrar os nossos dias.


E é isso, não temos muitas novidades. Daniel no forninho mexendo muito e isso tem me confortado em meio às adversidades.
Às vezes eu queria ter um pouquinho mais de tempo para terminar de preparar tudo, porque essa gravidez passou voando. E não é clichê!
Estou devendo o post do restante do enxoval do Daniel, mas o desânimo é maior. Às vezes eu só queria ser igual as outras pessoas que tem uma gestação sem tantos problemas e ser aquela mulher que consegue preparar o enxoval do filho sem se preocupar tanto com o orçamento. Porque esses meus filhos adoram uma crise. 
Falei para meu esposo que não quero mais filhos, pois traumatizei! Espero que vocês me entendam! São os hormônios!!!

Beijos

13 de novembro de 2015

Enxoval do Daniel e Atualização

Hoje eu vim com um post bem diferente. Eu resolvi fazer um vídeo com as últimas comprinhas do Daniel. As primeiras roupinhas que comprei, eu vou fazer um post detalhado em fotos outro dia.
Bem, estamos com 30+4 semanas/dias de acordo com a data da última menstruação (DUM), mas de acordo com a primeira ultrassom, eu entrei na 31 semana ontem ou hoje, não lembro ao certo.
Segundo filho a gente não fica muito atento aos detalhes. hehehe
Hoje eu passei o dia praticamente de "cama", levantei somente para fazer o almoço porque marido vem almoçar todos os dias em casa. Almoço no fogo e eu deitada no sofá. Ontem eu tive contrações de madrugada, mas eram nada comparadas às contrações enquanto eu estava em trabalho de parto do Pedro, mas as reconheci logo que as senti. Foram nada regulares, foram somente cólicas mais fortes que doíam as costas. Não tem como explicar como elas são, só passando para saber e como eu já tive um parto normal foi fácil para mim reconhecer.
Ai hoje a minha pressão passou o dia bem baixa. Acho que é o calor absurdo que tem feito. Tenho buscado o Pedro todos os dias, mas hoje eu pedi para meu esposo ir buscá-lo para mim. 
E essa semana foi a semana do sono. Tenho dormido bem a noite e acordado somente umas duas vezes na noite para fazer xixi (eu não faço muito xixi porque eu não bebo muita água, acabo esquecendo. Preciso melhorar isso!) e durmo até meio dia do outro dia. Estou me sentindo uma ursa que está hibernando.
Ontem também (depois de quase uma semana sem) a azia voltou com tudo. Levantei duas vezes, tomei um copo de leite gelado e tentei dormir. Demorou, mas funcionou. Tive azia porque comi farofa no jantar e no almoço. Como estou comendo a maior parte dos alimentos integral, a azia deu uma tregua.
Percebi que o que tem me dado azia é tudo que vai trigo. Então, dieta sem trigo até o Daniel nascer. Hoje comi uma paçoca e roubei uns salgadinhos do Pedro. Sai da dieta! Mas ninguém é de ferro, não é? 
Quarta, aproveitei que fui buscar o Pedro e acabei me pesando. Fiquei feliz comigo mesma, engordei uns gramas somente.
Mas como na carteira do pré-natal ela só coloca valores cheios, a médica vai me encher o saco dizendo que engordei um quilo e eu sei que não foi. 
Estou fazendo a minha parte.
Amanhã, pretendo ir ao posto de saúde tomar a bendita vacina das 27 semanas. Quando eu fui, eu tinha esquecido minha carteira de vacinação e a enfermeira falou que eu poderia tomar quando eu fosse na minha próxima consulta. Ela falou até que semana poderia tomar a vacina, mas eu não lembro.
Não quero esperar para tomar no dia da consulta porque provavelmente estarei indo para São Paulo terminar o enxoval do Daniel, mas ainda não é certo. Dizem que dói pra caramba, vou tomar por ser necessário. 
Mas sou abençoada porque sempre fui certinha com vacina e as minhas estão todas em dia, até hoje só precisei tomar a da gripe.
Na gravidez do Pedro, eu só tomei a da gripe porque minhas vacinas estavam dentro da validade. Pena que dessa vez, eu não escapei!
Sobre o arroz integral, eu realmente não gosto dele. Aprendi a prepará-lo, mas a minha maior dificuldade é porque somente eu como. Pedro come na escola e marido quando eu falo que vou fazer arroz integral para nós, ele inventa de que não vai almoçar em casa. Ontem eu fiz ele na panela de pressão com calabresa e ficou muito bom, com o gosto forte ainda e ele é meio borracha. Só não gosto de comê-lo quando ele sobra pra noite ou pro dia seguinte. Esse arroz (pra mim) tem que ser consumido logo após o preparo.
Mas, como eu disse, alguns alimentos integrais eu vou continuar consumindo depois do parto para auxiliar na perda de peso e também por ser mais saudável.
Não falei para vocês (ou falei), mas eu tenho asma e minha maior preocupação era se poderia utilizar os remédios que uso no tratamento. Passei com o médico que me acompanha desde que o Pedro tinha 4 meses e ele falou que tem remédios para asma que não são recomendados, mas os meus podem ser usados de forma segura.
Uso dois tipos de remédio para prevenção da crise duas vezes ao dia. Bem, é para usar todos os dias, mas acabo esquecendo. Tenho consulta a cada três meses para reposição dos remédios e para acompanhamento. 
E no caso da crise, eu tenho uma bombinha de asma que só deve ser usada na crise e ainda bem que não precisei usar.
Ainda hoje, vou retomar o uso porque estamos com um tempo bem seco e a minha rinite já está dando as caras e quando a rinite resolve aparecer, a crise vem logo em seguida.

Mas, enrolei demais já. Vou deixar vocês com o vídeo. Quero que me desculpem pela péssima qualidade da imagem, estou sem câmera e antes do Daniel nascer vamos ter que comprar uma. Celular é ótimo, mas uma boa câmera faz falta.
Perdoem a minha cara sem maquiagem e inchada e pela edição "porca", fiz pelo youtube e não estou tendo muita paciência de parar e editar bonitinho. 
Ah! Alguém sabe me dizer porque o meu computador não reconhece os vídeos que faço no celular?
Se vocês quiserem mais vídeos, é só me dizerem ok? Quero providenciar logo uma câmera e prometo colocar uma maquiagem na cara no próximo vídeo!



PS> Comecei o post na quinta, então considerem o ontem como quarta-feira e o hoje como quinta-feira.

9 de novembro de 2015

30 Semanas do Daniel no Forninho + Dieta

Voltei depois de 5 semanas longe.
Bateu o desânimo e toda vez que eu pensava em vir aqui registrar as semanas, eu ia dormir.
Essas semanas estão sendo bem cansativas e eu tenho aproveitado ao máximo para descansar. Semana passada choveu bastante e o Pedro não foi pra escola e aproveitamos ao máximo para dormir de tarde agarradinhos.
Esse post vai ser um misto de desabafo mesmo (já perceberam, não é?)
Sobre o enxoval do Daniel
Está indo do jeito que dá. Meu esposo é autônomo e a empresa em que ele trabalha, o movimento reduziu uns 60%. E a nossa renda caiu drasticamente. Então estamos comprando as coisinhas do Daniel conforme dá. 
Nu o Daniel não vai ficar, mas estou comprando coisas bem básicas mesmo.
O que falta:
Bebê conforto
Bodies de manga longa porque geralmente chove em janeiro 
Bodies tamanho M
Mijãozinho tamanho M
Macacões novos para sair
Macacão estilo banho de sol
Mantas (não comprei nenhuma ainda)
Mosquiteiro (não vou comprar o kit berço. Acho desnecessário)
Banheira
Cômoda ou Guarda-roupa Pequeno (ainda não decidi. O faz-me-rir vai falar mais alto)

Mas eu vou falar mais sobre o enxoval em outro post, já tirei fotos de algumas coisas que comprei e semana que vem acredito que encerro a sessão "roupinhas" e itens de berço e vai ficar faltando só os itens mais caros.

Sobre as 30 semanas


Eu estou com o rosto gordo, tirei uma foto ontem (domingo) e eu me senti feia, rosto cansado. Daniel continua mexendo, mas ainda continua mexendo bem menos do que o Pedro.
Eu sou muito abençoada porque esses meus filhos nunca me incomodaram com falta de ar ou chutes nas costelas. O Pedro chutava bem forte e o Daniel é mais calmo. Ele fica só nos "cutuques".
A azia continua. Já até me acostumei e nem reclamo mais e falta somente 10 semanas (10 SEEEMAAANAAAASSSS) para eu ver o rostinho mais lindo desse mundo!
Eu tô mais curiosa para saber como vai ser o rostinho dele, ouvir seu chorinho (não de madrugada hahaha), de sentir seu corpinho nos meus braços, ver aquele sorrisinho de felicidade a cada mamada (mesmo sendo involuntário), de pegar aquela mãozinha pequena entre as minhas.
Só sei que é muito amor que mal cabe dentro de mim.
Mesmo nesse "aperto" que estamos passando (meus filhos adoram crises para nascer. Quando o Pedro nasceu, nós estávamos passando por uma crise financeira pessoal. Tínhamos dinheiro pra nada e o Daniel escolheu a crise nacional para vir ao mundo), eu sou muito grata de poder gerar uma vida.
Claro que eu me sinto triste e até mesmo com raiva de não poder comprar tudo o que eu quero pro Daniel, mas eu sei que foi o Senhor que nos mandou esse anjo e ele já é uma benção na nossa vida.
Nós já cortamos tantos gastos e o momento é de sabedoria. Nós temos saúde e é o que importa.
A insônia deu uma tregua e eu estou conseguindo dormir bem melhor.
Algo que tem começado a me incomodar essa semana, são dores (pontadas) lá embaixo na benedita. A cada passo que dou é uma pontada, mas ainda bem que não são todos os dias.
Continuo sentindo dor no quadril após serviço doméstico ou se ando muito ou se fico muito tempo em pé.
O Pedro tem reagido bem a gravidez ainda, só tem passado por uma fase de rebeldia que tem me deixado sem paciência (não sou perfeita). E confesso que estou preocupada como vou conseguir conciliar atenção para os dois. Vou tentar incluir o Pedro nos cuidados com o Daniel sempre que der, porque o Daniel veio somar e não tirar o lugar do Pedro.

Dieta
Até a minha última consulta do pré-natal eu já tinha engordado 10 kg. E desde o começo da gravidez a médica tinha falado que eu não poderia engordar um grama, mas mesmo comendo pouco, porque gravidez não significa que temos que comer por dois, mesmo não exagerando nos doces e cortando refrigerantes e batata eu engordava de 3 a 4 kg no mês.
Sabe como eu me sentia? Péssima! Desanimada! Decepcionada! Com vontade de chorar!
Porque eu sabia que não estava enfiando o pé na jaca.
A cada consulta, a médica passava exames e mais exames.
Duas consultas atrás, ela ficou desconfiada de diabete gestacional, fiz os exames e glicemia ok.
Ai na última consulta ela passou mais exames.
Repeti exame de urina e urocultura, ela passou um de HIV (acho que fiz os exames do último trimestre junto), o de toxoplasmose de novo e passou três diferentes. O de sódio, potássio e da tireoide (TSO).
Final dessa semana já vou buscar o resultado pois tenho consulta próximo dia 17.
Desde o começo da gravidez, ela me aconselhou a comer o arroz integral (cara de nojinho mode on), mas eu nem cheguei a comprar e reduzi a quantidade do arroz branco, mas nada adiantou.
Então nesse último mês, eu fui obrigada a substitui o arroz, o pão, o leite, as bolachas. Até a margarina está sendo a light e o iogurte está sendo o desnatado (uma delícia!!! Estou sendo sincera agora. Muito bom mesmo.)
Me pesei na semana passada e eu consegui manter o peso da última consulta. Confesso que dou uma escorregada no arroz, porque eu tenho que fazer somente pra mim e bate uma preguiça e o arroz é borrachudo, mais duro de cozinhar e tem um gosto forte.
Não gostei! 
Agora eu sou a louca do integral. Vou nas prateleiras do supermercado e saio procurando os integrais, encontrei até bolacha cream cracker e maizena integral.
Faz um mês que não compro batata e estou aprendendo a substituir. Hoje eu fiz abóbora refogada e estava uma delícia.
São hábitos que quero levar além da gravidez.

Bem, é isso o pequeno resumo do que anda acontecendo. Volto com o enxoval do Daniel.

26 semanas. Acabei não tirando foto de todas as semanas... 

Beijos

2 de outubro de 2015

Consulta Pré-Natal + 23 e 24 Semanas

Uma palavra me define hoje: PREGUIÇAAAAA
Cada vez mais me sinto mais e mais cansada. E esse calor? E estamos somente na primavera!
Tenho a impressão de que vou assar igual um leitãozinho gordinho!

Mas vamos à consulta desse mês.
A minha consulta deveria ter sido dia 09 de setembro, mas um dia antes me ligaram dizendo que ela tinha sido cancelada. Ainda bem porque estava chovendo bastante e preguiça de sair de casa é o que não falta. Me falaram que assim que tivesse uma nova data me ligariam novamente.
Eu fiquei muito preocupada porque a bendita internet dizia que eu tinha até a semana 24 para fazer o ultrassom morfológico do segundo trimestre e eu  já estava de 21 semanas. E eles demoraram tanto para me ligar que eu estava quase ligando (drama né?)
Acabaram me ligando e a nova consulta foi marcada para o dia 23.
E eu fui toda alegre para consulta:
1º Achando que ia rolar uma guia de ultrassom (que não rolou)
2º Achando que eu não ia levar uma bronca.

Estava tudo lindo! #SQN

Pressão: 100 x 60 (Ok)
Peso: 60 kg

Perdi o chão! Foram 4 quilos em 6 semanas. De 56,300 kg eu fui para 60kg
Eu até agora não sei o porque desse ganho de peso. Pois eu não como doces, raramente tomo refrigerante e eu comi lanche somente uma vez por semana e eu não estava com retenção de líquido.

Eu fiquei tão sem chão que esqueci de perguntar tudo o que eu tinha planejado.
Tentei até brincar dizendo que o bebê também tinha crescido. E ela?

_ Mas o bebê não cresceu 4 quilos!!!

Eu fui bem sincera com ela e disse que não sabia porque engordei tanto. Porque eu não como exageradamente e tudo o que eu falei agora a pouco.

Por causa disso, ela me passou exame de Glicemia de jejum novamente porque ela está desconfiada de que haja uma diabete gestacional nesse ganho de peso.
Eu confesso pra vocês que estou preocupada.
Além do exame de glicemia, ela passou também o exame de
Toxoplasmose IgH
Toxoplasmose IgM
Urocultura
Urina 1

E nada de Ultrassom. Como eu fiz uma com 17 semanas serviu como o morfológico do segundo trimestre. Então tá tranquilo, não sou a louca do ultrassom.

Informações da Carteira:
I.G/USG (Idade Gestacional de acordo com o Ultrassom): 24 semanas
I.G/DUM (Idade Gestacional de acordo com a data da Última Menstruação): 23 semanas e 3 dia 
Peso: 60 kg
PA (Pressão Arterial): 100X60
AU (Altura Uterina): 24 cm
MF (Movimentos Fetais): Positivo (+)
BFC (Batimentos Cardio Fetais): Positivo (+)
Edema (inchaço): ---------- [Não tenha ainda e nem vou ter em nome do Senhor]
Apresentação:  VR
Classe Nutricional: B

Agora é só esperar pelo resultado. Ao mesmo tempo que eu estou preocupada de estar realmente com diabete gestacional, eu também estou preocupada com esse ganho de peso. Até agora foram 7 quilos ganhos.
E a médica foi bem clara de que eu estava proibida de engordar.
Agora eu estou com medo da próxima consulta.
Tá tenso!
Segunda que passou, eu fui fazer os exames que ela passou e eu aproveitei e fui na farmácia me pesar e de quarta-feira até a última segunda eu já tinha engordado quase 2 kg!!!
Socorrooooo!!!
Gente, é pra chorar! Chorar de soluçar e querer que um buraco se abra e eu caia dentro.
E desde a última consulta eu tenho me policiado para comer "menos".
De manhã eu tenho tomado um copo de leite com toddy e um pão ou bolacha de água e sal.
No almoço, eu coloco uma concha pequena de feijão mais 4 colheres de arroz branco e um pedaço pequeno de carne. E como salada à vontade. Salada não engorda né?
E somente um copo de suco após a refeição.
No jantar, geralmente eu como pão ou bolacha de água e sal. E me dá uma azia que não é do bem.
Às vezes eu como o que sobrou do almoço.
Eu também estou eliminando batata da minha vida de gestante. E essa semana vou tentar introduzir alguns grãos integrais na minha alimentação, até o pão vai ser integral. 
Agora eu me recuso a tomar leite desnatado. Preciso de um incentivo não é?
Não comi lanche desde a última consulta (uma semana). E nada de pizza nem refrigerante. Hoje é sexta-feira, ontem marido ofereceu para comprar lanche e eu disse que não.
Sabe, eu não fico me vitimando porque eu não vou poder comer algumas coisas e as pessoas ao meu redor podem comer a vontade porque eu não fico passando vontade. 
Nessa parte eu sou bem determinada.
Agora mudando desse assunto chato de RA...
Eu sei que eu deveria ter voltado ontem com o post, mas vocês sabem que eu sofro horrores de dores no quadril e na perna esquerda. Se eu andar dói, ficar muito tempo sentada ou em pé dói, se eu ficar fazendo muito esforço, ai que dói mesmo. 
Essa dor começou depois que eu engravidei e a médica falou que não é da gravidez, até desisti de falar pra ela que todos os dias eu sinto dor, mas como não adianta, eu acabei abraçando essa dor e estou aprendendo a conviver com ela porque eu sei que depois que o Daniel nascer ela vai embora e nem precisa voltar!
Então ontem, eu e o Pedro começamos a mexer no pequeno jardim lateral que eu tenho com algumas plantas. O Pedro atrás de minhocas e bichinhos de jardim e eu organizando, replantando e arrancando plantas mortas devido ao inverno. Ficamos desde as nove da manhã até umas onze horas. 
Imagina eu, com toda essa barriga, agachada arrumando o jardim. Não deu outra, fiquei com dor e não consegui fazer mais nada o resto do dia.
E a minha rotina é assim, se hoje eu arrumo e passo pano na casa, eu só vou fazer alguma coisa na casa um dias depois, quiçá dois dias!
Faço tudo no passo do elefantinho, ou seja, bem devagar quase parando.
Vou confessar que passar pano na casa aqui rola somente uma vez por semana, nos outros dias eu passo a vassoura. E os meninos (marido e Pedro) tem colaborado com a limpeza do chão (não derrubam comida, nem suco) e que os anjos digam amém. 
Nem vou falar do banheiro. Tenho dois homens em casa, então eu sou obrigada a lavar toda semana. Nem que seja bem de leve. Mas tem sujado bem menos do que antes! 
Bênçãos da gravidez! O Senhor tem me abençoado muito, já que eu não tenho ninguém para me ajudar.
Hoje foi dia de arrumar as gavetas do Pedro. Senhor amado! É muita roupa pra pouco espaço (depois eu conto para vocês como vamos organizar o quarto para a chegada do Daniel. Ah! O berço chega até dia 09 desse mês, mas só vou montá-lo no final de novembro mesmo. Será meu presente de aniversário) e já separei o que não serve mais e eu demorei a manhã inteira. Hoje também foi dia de lavar roupas. Nem lavei tudo, falta bastante, mas eu me recuso a fazer alguma coisa dia de sábado ou domingo, então vai ficar tudo para segunda-feira.
Amanhã é dia de cuidar de mim. Aproveito para dormir mais e arrumar o cabelo que está uma calamidade. Depois eu falo das mudanças hormonais que ocorreram nessa gravidez.
Então como eu prometi um post sobre a consulta e as semanas 23 3 24, eu sentei três da tarde e comecei a escrever. Parei para buscar o Pedro na escola. Chegamos em casa e ficamos nós dois brincando no quintal e chupando picolé porque o calor está de matar.


Primeira foto: Voltando pra casa com um picolé de uva. Ele adora! O pezinho dele não é torto, ele que tem esse costume de colocar o pé desse jeito quando ele não quer tirar foto.
Segunda foto: Andando de bicicleta no quintal. Olha o meu jardim lateral logo atrás.

Entramos e eu voltei a escrever, só sei que são quase onze da noite e ainda estou aqui porque eu já parei tantas vezes. Ora para dar banho no Pedro, depois fazer mamadeira, depois limpei, dobrei roupas e assim até finalmente sentar e terminar. 
É um processo parar e escrever. Imagina como vai ser com um recém-nascido e uma criança de três anos em férias escolares? #procurandoGi; #CampanhaJaneiroVoltaGi
Não vai ser fácil, mas estou tentando ser positiva.

Bem, agora sobre a semana 23


Nada (mas nada mesmo) de diferente aconteceu. Daniel começou a mexer mais, principalmente de manhã quando ele está com fome. Nessa semana ele começou a se esticar só para um lado da barriga formando uma bola que parecia que ia rasgar a minha barriga. Foi eu levantar e comer que ele acalmou. Agora é impossível não sentir e ver os movimentos dele na barriga. É muito amor!!!


23 Semanas


Semana 24
A barriga esticou demais. Deu uma crescida que todo mundo notou. Me perguntaram aonde caberia mais 16 semanas. Mas não tem conversa, vai ter que caber. Perguntaram se era somente 1. E estão me dizendo: ele vai ser um bebezão, mas o povo esquece que tamanho de barriga não quer dizer nada. Conheço pessoas que tiveram barrigão e quando o bebê nasceu, se surpreendeu com os 48 centímetros e os dois quilos e meio.
Minha barriga do Pedro não foi grande e ele nasceu com 51 centímetros e 3 quilos e meio. 
Então quando o assunto é tamanho de barriga: Cuide da sua que eu cuido da minha.

Nessa semana, eu estou oficialmente sem umbigo. Ele foi procurar água lá em Marte e esqueceu de voltar. ;)
Ah! Antes que eu esqueça (vamos relatar tudo para não esquecer), ontem o Pedro pediu para deitar a cabeça no meu colo e ele deitou em cima da minha barriga e o Daniel não gostou. E foi um cutuque danado. Chegou uma hora que o Pedro "cansou" de tanto cutuque na cabeça dele e falou:
_Mamãe, o "G"aniel tá pulando.
Mas não queria sair de cima da barriga. 
Será que esses dois vão ser amigos? Tomara! Desde a barriga já estão nessa "briga" de quem pode ficar perto de mim ou não.
Ah! Marido deu bom dia para mim cinco da manhã, essa criança já acorda. Já falei para o marido não falar comigo de manhã porque depois que o Daniel acorda, eu não consigo dormir mais.

24 Semanas
Desculpa esse post imenso. Vale pro final de semana inteiro. E para mostrar que eu sou boazinha, olha o que eu comprei segunda-feira para o Daniel:

Enxoval do Daniel - 24 Semanas
Pronto pro Arraiá em Janeiro


Eu comprei outras coisas, não foram muitas, mas eu mostro no próximo post, ok? Senão vocês vão ficar o final de semana inteiro lendo o meu post ;)
Ah! Eu falei que ia semana que vem comprar algumas coisas do enxoval, mas com a resposta do Walmart de que o berço vai chegar até dia 09, eu estou presa em casa. Então depois que o berço chegar, eu vou começar oficialmente o enxoval. Dedinhos cruzados para esse berço chegar antes do dia 09 porque eu estou louca para comprar as roupinhas dele!

Beijos e até o próximo post! Ah! e bom final de semana!

30 de setembro de 2015

As Consultas de Pré-Natal - Da Semana 5 a Semana 17

Gente, eu estou louca para mostrar as coisas do Daniel. Apesar de não ter comprado quase nada de roupa e nem as outras coisas (hehehe), mas é tanto amor quando eu olho tudo tomando forma. Tudo se organizando. Confesso que estou mais perdida que cego em tiroteio. Pedro nasceu no inverno e foi um tipo de enxoval e agora o Daniel vai nascer no auge do verão e já é outro tipo de enxoval. Eu postei aqui no blog algumas coisas que eu deveria comprar primeiro, mas até agora não comprei praticamente nada. E falta somente 16 semanas (mais ou menos 3 meses e 15 dias).
Mas eu vim aqui falar das consultas do pre-natal (que vou confessar, achava um saco estar todo mês lá por obrigação. Eu também tinha uma médica muito ruim, nem olhava pra mim. Era péssima demais. Uma péssima experiência pelo SUS).
Dessa vez, também estou fazendo meu pré-natal pelo SUS e eu adoro as consultas. A minha médica dessa vez é MARAVILHOSA!!!
Dá uma atenção especial, pergunta se tenho dúvidas. Se quero falar alguma coisa. A consulta demora em torno de 15 a 20 minutos.

Como eu nunca falei das consultas aqui e já estou no sexto mês, vou falar de todas as consultas para vocês de forma reduzida. Senta que o post é longo!

Dia 18/05/2015 - Abertura do Pré-Natal - 5 Semanas

Eu descobri a gravidez no dia 14 de maio desse ano. Era uma quinta-feira. No dia seguinte, eu liguei no posto querendo saber se eu precisava passar no posto antes para abrir o pré-natal ou se eu esperava a consulta que eu tinha marcado para dali a duas semanas. A funcionária do posto falou que eu precisava passar com a enfermeira primeiro. Naquele dia já não dava mais tempo, então ficou para a segunda-feira seguinte (18/05/2015).
Na consulta com a enfermeira, ela pediu o exame de sangue que confirmava a gravidez e como eu fiz o exame de farmácia, ela repetiu o exame de farmácia com um do posto de saúde. Positivo o resultado, ela perguntou o primeiro dia da minha última menstruação e ela fez as contas para dar a DPP (data prevista para o parto) e feito isso ela preenchei a minha carteirinha linda de gestante. Essa primeira "consulta" demora mais ou menos uma hora.
Depois ela me pesou, aferiu a minha pressão e preencheu um formulário com questões sobre a saúde da minha família (queria saber se tinha alguém na minha família com histórico de diabetes, hipertensão, câncer etc. Eram muitas perguntas).
E por último, ela passou os exames do primeiro trimestre. Eu não lembro exatamente quais foram, mas foram muitos tubos de sangue que precisei colher.
Eu lembro que fiz o de:

  • Urina 1
  • Urocultura
  • Glicemia de Jejum
  • Falcização
  • ABO
  • Fator RH
  • PPF
  • HBsAg
  • Toxoplasmose IgG
  • Toxoplasmose IgM
  • Anti HIV
  • VDRL
  • Eritrograma
  • Parasitológico de fezes

Esses eu sei porque eu acabei de fazer alguns exames do segundo trimestre e tirei uma foto da requisição. Mas provavelmente tem mais exames.

Foi marcada a primeira consulta com a Ginecologista.

Informações da Carteira:
I.G/USG (Idade Gestacional de acordo com o Ultrassom): ------
I.G/DUM (Idade Gestacional de acordo com a data da Última Menstruação): 5 semanas e 1 dia 
Peso: 54,300 kg
PA (Pressão Arterial): 90X70 
AU (Altura Uterina): -------- [Não tinha como medir ainda. A barriga ainda não tinha crescido]
MF (Movimentos Fetais): ----------- [Não dava para sentir também]
BFC (Batimentos Cardio Fetais): ----------- [Não dava para captar pelo aparelho]
Edema (inchaço): ---------- [Não tinha nenhuma alteração hormonal ainda]
Apresentação: -----------
Classe Nutricional: --------------------

OBS: Estou escrevendo o que tem na minha carteira de gestante do meu município. Cada município tem um padrão diferente e talvez o que tenha na minha carteira, possa não ter na sua e vice-versa. E tem bem mais informações na carteira, mas se eu resolver colocar tudo, ninguém vai entender mais nada. Tem a relação de vacinas que a gestante já tomou, os resultados de exames, informações das ultrassons... Se vocês quiserem ver a foto da carteira é só me dizer que quando eu falar de novo sobre as consultas, eu coloco a foto dela.

Dia 15/06/2015 - Primeira Consulta com a GO - 9 Semanas

Na primeira consulta com a Ginecologista foi feito o mesmo procedimento de verificar o peso (meu pesadelo) e de aferir a pressão. E se tiver muito no começo da gravidez não dá para ouvir ainda os batimentos cardíacos do bebê através do aparelho. 
Então a primeira consulta é bem básica. 
Ela também verificou os exames que a enfermeira tinha pedido.
Para confirmar o tempo de gestação, ela passa um guia de ultrassom do primeiro trimestre. O ultrasson da TN (Translucência Nucal).

Fiz a Ultrassom no dia 29/06/2015 e dá um medo de não ver o bebê, de não ouvir o coraçãozinho, mas graças ao bom Senhor deu tudo certo.

Nessa consulta, ela me perguntou sobre o parto do Pedro. Perguntou se foi normal, o peso que o Pedro nasceu e o tamanho e a sua data de nascimento para preencher na carteira.
Aproveitei e falei que tive problemas de inchaço desde o 4º mês na gravidez do Pedro e ela me passou mais exames: Uréia, Creatinina e Proteinúria da Urina de 24h.

Informações da Carteira:
I.G/USG (Idade Gestacional de acordo com o Ultrassom): ------
I.G/DUM (Idade Gestacional de acordo com a data da Última Menstruação): 9 semanas e 1 dia 
Peso: 55 kg
PA (Pressão Arterial): 120X80 
AU (Altura Uterina): -------- [Não tinha como medir ainda. A barriga ainda não tinha crescido]
MF (Movimentos Fetais): ----------- [Não dava para sentir também]
BFC (Batimentos Cardio Fetais): ----------- [Não dava para captar pelo aparelho]
Edema (inchaço): ---------- [Não tinha nenhuma alteração hormonal ainda]
Apresentação: -----------
Classe Nutricional: B [Acho que isso está relacionado ao meu peso e eu estou dentro do meu IMC]

Dia 13/07/2015 - 13 Semanas

Procedimentos de rotina. A pressão estava boa, mas levei uma bronca pelo peso. Mesmo enjoada, eu consegui engordar 1,300 kg. Eu não comi tanto assim pra engordar desse jeito, mas o peso é meu e eu tive que assumir né?
Esqueci de levar a ultrassom para ela e ficou pra levar na próxima consulta.
O resultado dos exames que ela tinha solicitado estavam prontos e os exames estavam ótimos.
A recomendação era que eu não poderia engordar, mandou eu reduzir/tirar o sal da comida (só que eu não tirei porque aqui em casa comemos bem pouco sal) e falou para que eu evitasse ou comesse menos os carboidratos simples. Eu estava oficialmente de "dieta".

Informações da Carteira:
I.G/USG (Idade Gestacional de acordo com o Ultrassom): ------
I.G/DUM (Idade Gestacional de acordo com a data da Última Menstruação): 13 semanas e 1 dia 
Peso: 56,300 kg
PA (Pressão Arterial): 120X80 
AU (Altura Uterina): 13 cm
MF (Movimentos Fetais): Positivo (+) [na verdade nem dava para sentir nada, mas tinha batimentos né? Então óbvio que tinha movimentos]
BFC (Batimentos Cardio Fetais): Positivo (+)
Edema (inchaço): Negativo (-)
Apresentação: VR (Não sei o que pode ser) 
Classe Nutricional: B

Dia 10/08/2015 - 17 Semanas

Procedimento de Rotina. Eu consegui manter o peso do mês anterior e ganhei um parabéns. Viva!!!
Sai realmente feliz da consulta. 
Ela cobrou o ultrassom da TN e eu toda cheia de vergonha falei que tinha dois ultrassons para mostrar em vez de um.

Segue a conversa:

Eu: Dra. por falta de um ultrassom, eu trouxe dois. É que eu estava curiosa sobre o sexo do bebê e acabei fazendo outro.
Dra: É? E ai, conseguiu ver o que é?
Eu: Sim. (crente que a conversa ia acabar por ai)
Dra: E o que é?
Eu: É um menino. (mega surpresa por ela ter perguntado e a conversa poderia ter parado ai né?)
Dra: Que legal! E já escolheu o nome?
Eu: Sim, Daniel (eu estava mais surpresa ainda. Genteee, ela é do SUS. A minha outra médica do pré-natal do Pedro, nunca perguntou nada e quando eu fui na consulta com o Pedro no colo, ela nem olhou pro meu filho).

E o mais surpreendente, ela colocou o nome do Daniel na carteira. E toda vez que vai medir a barriga e escutar o coração, ela chama o bebê pelo nome. Lindo né? Precisamos de médicos mais humanos assim não é?


Informações da Carteira:
I.G/USG (Idade Gestacional de acordo com o Ultrassom): 18 semanas
I.G/DUM (Idade Gestacional de acordo com a data da Última Menstruação): 17 semanas e 1 dia 
Peso: 56,300 kg
PA (Pressão Arterial): 120X80 
AU (Altura Uterina): 17 cm
MF (Movimentos Fetais): Positivo (+) (já dava para sentir os movimentos e ela perguntou se eu já sentia)
BFC (Batimentos Cardio Fetais): Positivo (+)
Edema (inchaço): Negativo (-)
Apresentação: VR (Não sei o que pode ser) 
Classe Nutricional: B

___________________________________________________________________

Como esse post está muito grande, eu vou voltar quinta-feira para contar sobre a última consulta e vou falar sobre a semana 23 e 24 e quem sabe na sexta-feira eu venha e fale sobre as coisas do Daniel.

Espero que tenham gostado!

24 de setembro de 2015

Minha História de Perdão - Parte 3

E então chegamos à ultima parte desse meu drama mexicano... 

Eu, depois de muita oração, já não sentia mais nada. Realmente eu já tinha perdoado por completo tudo o que tinha acontecido. Eu tinha desistido de qualquer forma de contato, era eu na minha e ela na dela.
Para vocês terem uma ideia, tínhamos amigos em comum e ela acabou cortando laços com todos eles. E conversa vai e conversa vem com alguns dele, sempre vinham me perguntar como ela estava. Eu falava que não sabia e dizia que não tínhamos mais contato e nunca mencionei o que tinha acontecido. Era algo meu e eu não queria ninguém do meu "lado" porque eu não queria impôr o meu lado de que fui a certa na história porque eu também errei. 
As pessoas que tiveram pouco contato com ela, me falavam que ela se tornou uma pessoa fútil. Ela só sabia falar de maquiagem e dos bens que ela adquiria. 
Eu não conseguia reconhecer aquela pessoa que eu sempre admirei pela humildade, simplicidade e eu admirava a pessoa de fé que ela era. 
Essa pessoa não existia mais. Mas guardei tudo isso no meu coração, porque eu não podia fazer mais nada. Eu não estava disposta a me aproximar novamente e acabar com todo o trabalho que eu tive de curar as minhas feridas.
Vou confessar para vocês que eu fiquei tentada de mandar e-mails para ela desnudando todos os meus sentimentos nesse intervalo que ficamos sem nos falar. Mas eu fui orgulhosa e todos os e-mails acabaram ficando no rascunho.
Mas no começo de 2011, eu recebi mais um e-mail dela tentando uma nova aproximação. Ela dizia que sentia a minha falta e que me amava como uma irmã. Eu não sei até que ponto ela falava a verdade. 
Mas dessa vez, eu fui reservada. Eu não dei o Ibope que ela esperava. Eu respondia os e-mails dela, mas sem aquela empolgação e, em vez de contar tudo sobre a minha vida, eu esperei ela perguntar o que ela queria saber. 
Quando eu recebi o e-mail dela, eu estava no trabalho e ela queria um telefone fixo para ligar pra mim. Como eu ainda não tinha telefone fixo nem internet em casa, toda a nossa comunicação ficou restrita ao meu ambiente de trabalho. Ela ligou lá, mas a nossa conversa não pôde durar muito, pois eu tinha muito serviço.
Mas sabe quando você percebe que por mais que você tente se entregar a algo, você fica com um bloqueio? Tinha uma barreira entre nós. Eu sentia como se estivesse jogando campo minado. Eu não sabia o que falar por medo de ser mal-interpretada.
Ela chegou a me convidar para o facebook e eu aceitei, mas qual foi a minha surpresa? Todas as fotos dela estavam bloqueadas e eu só tinha acesso ao mural dela. Ela não estava sendo sincera de fato e eu me senti aliviada por ser cautelosa.
Essa nova aproximação durou 2 dias. No segundo dia de aproximação, estávamos conversando pelo facebook e eu não podia dar 100% de atenção para ela pois aquele dia no trabalho estava muito cheio.
Enquanto eu atendia um cliente, ela mandou uma última mensagem dando piti novamente. Eu não lembro ao certo o que ela falou, mas umas das coisas que ela falou, foi que o marido tinha pedido para ela não continuar a falar comigo porque ele não gostava de mim. E eu continuava sem conhecer o marido dela.
E eu não tive opção de resposta pois ela acabou me bloqueando.
E eu, acabei não sofrendo como das outras vezes.
Lembro que eu acabei fazendo um novo facebook e mandei uma mensagem para ela e para não ser perturbada mais uma vez, eu acabei excluindo qualquer forma de aproximação dela.
Em 2011 foi o ano que eu engravidei do Pedro e pude finalmente me libertar de qualquer tipo de ressentimento. Eu acabei "esquecendo-a".
E hoje, em 2015 me encontro grávida novamente e há alguns meses atrás senti novamente algo me dizendo para abrir o facebook do meu esposo. E quem eu encontro lá entre os amigos dele? Ela!!!
Eu estou bem diferente da pessoa que eu era lá em 2009. Me sinto mais madura e dessa vez eu deixei como está. Sem perguntas, sem aproximação, sem piti e não questionei ao meu esposo. Tenho coisas mais importantes com o que me preocupar.
Mas eu estou sempre monitorando... não vou largar meu marido sem supervisionar pois eu não sei a intenção da outra pessoa. Qualquer sinal de "Gislene é assim ou assado" já vou ser obrigada a conversar com meu esposo e ele vai ter que escolher ou a esposa ou a "amizade" dele.
Nessa aproximação dela no facebook dele, descobri que ela não tem filhos e que o casamento "perfeito" dela não existe mais. Ela está divorciada e está vivendo a sua vida de futilidade e balada.
E querem saber? Não estou feliz pelo fim do casamento dela.
Mas eu consigo ver o quanto eu sou abençoada por ter um marido (im)perfeito, mas que se esforça para que nosso casamento dê certo todos os dias. Sou muito grata por ter dois filhos lindos e maravilhosos e por poder ir à igreja todos os domingos com a minha família.
Eu não sinto nada em relação a ela. Não tenho rancor, não tenho raiva, mágoa. Nada de nada.
É claro que não vai rolar uma super amizade se a pessoa vier falar comigo um dia. E hoje eu conheci pessoas maravilhosas que me fez ver que muitas vezes precisamos dar valor às pessoas que realmente merecem.
E que todas nós tenhamos sucesso.
Ela escreveu ao meu marido querendo saber se eu sabia que eles eram "amigos", não gostei da resposta do meu esposo. Ele falou tipo: "ela não manda em mim sabe?", mas se eu for brigar por cada coisa pequena que acontece, eu nunca vou conseguir ser feliz.
E o Senhor me deu a oportunidade de perdoar, me curou as feridas do meu coração e eu não vou estragar todo o trabalho que Ele teve.
Nunca vou esquecer o que aconteceu, mas eu lembro de tudo sem finalmente sentir dor.


23 de setembro de 2015

Minha História de Perdão Parte 2

Ufa! Finalmente sentei...
Sei que tem curiosas ai querendo a continuação da minha história e aqui estou eu para continuar.
Bem, mas antes quero me justificar pela demora. Passamos o final de semana na casa dos meus sogros em outra cidade. Há exatamente 3 horas de distância e voltamos somente na segunda. Chegamos em casa 10 horas da noite e lá estava tão quente que voltei mega inchada e com dores nas pernas. Ontem foi dia de descanso e como eu precisava desse descanso. E adivinhem? Eu não fiz nada em casa e hoje foi dia de fazer alguma coisa. Marido chegou do trabalho estressado e com dor no peito e eu sei que um ambiente organizado já faz uma diferença enorme no humor e na disposição da pessoa. Então, em plena seis da tarde estava eu varrendo, trocando lençol de cama e colocando um pouco de ordem na casa e na cozinha. Estou mortaaaa!
Amanhã vai ser dia de lavar roupas e limpar o chão. Já estou cansada só de pensar! Seis meses de gravidez nesse calorzão não tá fácil não!

Mas vamos continuar a história?

________________________________________________________

Depois que eu vi aqueles e-mails, eu não sabia o que fazer. Nunca me passou pela minha cabeça falar com meu esposo porque ainda estávamos em pé de guerra, afinal o primeiro ano de casamento foi um ano péssimo para nós.
Mas eu, inocente, achei que aqueles e-mails dela seria um sinal de que o Senhor tinha ouvido as minhas insistentes orações para resolver a situação entre nós. A gente fica tão cega que acha sinal em qualquer coisa.
E, eu boba, mandei um e-mail para ela dizendo que sabia das trocas de e-mail entre ela e o meu esposo e que eu não gostei da atitude deles de estarem fazendo isso sem o meu conhecimento. Ela respondeu ao e-mail dizendo que estava simplesmente tentando ajudar, pois meu marido que a tinha procurado e ao esposo e queria ajuda para salvar nosso casamento.

[Como eu exclui todos os e-mails que pudesse lembrar tudo isso que aconteceu e faz muito tempo, eu não lembro de todos os detalhes (então me perdoem)]

Com os e-mails dela veio os "conselhos" de que eu deveria ser submissa ao meu marido e ouvir aos seus conselhos pois ele era um homem de Deus e toda aquela parafernália de gente bitolada.

Nada contra quem vive dessa maneira, eu sou da opinião de que marido e mulher devem tomar decisões juntos devem fazer tudo juntos e um de acordo com o outro.

E como eu previa, todos os e-mails que ela recebia meu, ela mandava como cópia para meu marido e como observação colocava "Fulano, você não merece viver a sua vida inteira ao lado de alguém como ela", "ela continua orgulhosa, você merece alguém que vá te fazer feliz", "você não merece tudo isso e ela nunca vai mudar".
Ela fazia tudo isso sem saber que eu tinha acesso ao e-mail do meu esposo. E nos e-mails que ela me mandava dizia "Gislene, eu te amo como uma irmã, esse tempo todo em que ficamos afastadas não mudou o meu sentimento em relação a você. Eu oro todos os dias para o Senhor te abençoar."

Jura? Ela falava que me amava e por trás como cobra venenosa me apunhalava pelas costas.

Foi quando eu falei para ela que estava vendo os e-mails que ela estava mandando para meu esposo e que ela não precisava fingir e parasse de ser falsa.
Ai ela se transformou. Mesmo sabendo que eu estava vendo os e-mails do meu esposo, ela ainda estava mandando cópias dos e-mails e nos comentários colocava que eu "continuava sendo aquela menina invejosa que sempre invejou a vida dela, que invejava tudo o que ela tinha (como assim gente???), que eu continuava com um coração duro e que tinha uma raiva e mágoa muito grande dela e que o esposo dela viu o conteúdo dos e-mails e achou a mesma coisa e que o melhor a fazer, era meu esposo se afastar de mim porque eu ia fazê-lo sofrer ainda mais e que ela realmente sentia pelo meu casamento e que sentia pena pelo meu casamento estar naquela situação".

Ai depois daquele último e-mail dela para meu esposo, meu sangue pernambucano ferveu mais uma vez. Eu sou muito boazinha, mas na hora da raiva eu falo tudo o que estou sentindo. Ai mandei ela cuidar da vida dela e que em vez de viver as custas do marido, fosse procurar um trabalho para manter as futilidades dela. E que ela não adiantava maquiar o rosto se o coração e alma dela era "podre". Falei que eu não tinha raiva dela, nem mágoa e que eu tinha perdoado tudo o que tinha acontecido (e realmente tinha deixado tudo no passado e estava vivendo a minha vida, mesmo com o casamento conturbado).
Eu não recebi resposta do e-mail.
Isso foi em 2010.
A partir daí, minha oração ao Senhor era que ele continuasse sarando essas feridas que essa amizade tinha trazido para meu coração. Muitas vezes, eu chegava em casa com o meu coração sufocado pela dor e eu me ajoelhava ao lado da minha cama e pedia que o Senhor aliviasse a minha dor. E Ele sempre atendia às minhas orações. Nas minhas orações, eu também pedia ao Senhor que me ajudasse a perdoar e não sentisse mais dor ao lembrar do que tinha acontecido.
E com esse pedido ao Senhor, resolvi excluir todos os e-mails dela. Para que guardar algo que causava dor, não é?
E eu sempre lembrava que perdoar não significa que precisamos esquecer, mas sim lembrar daquilo que nos machucou sem sentir dor.
E excluir todos os e-mails foi a melhor coisa que eu fiz naquele ano.
Essa troca de emails durou menos de uma semana. E é obvio que falei com o meu esposo sobre o que aconteceu e ele falou que só estava procurando ajuda porque não queria que nosso casamento acabasse e que ele pensava que ela me conhecesse melhor e pudesse ajudá-lo. Pensou que ela era minha amiga.

Continua....


20 de setembro de 2015

Minha História de Perdão - Parte 1

Meninas, senti uma imensa vontade de compartilhar essa experiência que eu tive com vocês. Ela vai ser dividida em algumas partes porque a história é longa e até hoje tenho coisas pra contar porque ainda está acontecendo.
Vamos lá?
----------------------------
Eu acho que todo mundo tem ou já teve uma melhor amiga para compartilhar as alegrias e tristezas não é?
Pois eu encontrei essa melhor amiga quando eu tinha 19/20 anos. Nós tínhamos uma sintonia e nos identificavamos pela nossa personalidade.
Eu sou um ano e alguns meses mais velha do que ela, mas isso nunca afetou nossa amizade. Afinal, eu vou fazer 28 anos e não me sinto como tal.
Pois bem, nós tínhamos namorados e acabamos casando no mesmo ano. Eu mudei de estado e ela também.
Mas depois do casamento dela, ela mudou. Deixou de se comunicar comigo por e-mail e pelo finado Orkut.
E eu sem entender o porquê, continuei mandando emails querendo saber o porquê do seu sumiço. Eu realmente estava preocupada.
Foi aí que estava meu erro. Me preocupar demais.
Os seus e-mails e conversas começaram a ficar ofensivos porque ela estava de saco cheio da minha "cobrança" por atenção.
Ela não conseguia ver que eu estava preocupada.
A partir daí, a amizade ficou estranha. Eu até tentei levar a amizade adiante, mas ela não.
Num certo e-mail ela mandou eu parar de ser "invejosa" e fosse cuidar da minha vida. Fiquei muito magoada e meu sangue quente pernambucano "ferveu".
Aí brigamos de vez. E eu entrei em quase depressão.
Além do invejosa, ela ainda falou que o marido dela não queria que ela mantivesse contato comigo porque ele não gostava de mim.
Detalhe: eu nunca o vi na vida.

Mas a decisão dela estava tomada e eu respeitei.
Mesmo sentindo muita tristeza por uma amizade que era valiosa pra mim, tentei seguir com a minha vida. Com o meu casamento.
Meu marido nunca entendeu o meu lado e nem o motivo da briga entre nós duas. Ele, na verdade, nunca me defendeu ou tentou me consolar.
Isso foi em 2009,ano do meu casamento e o pior de todos os anos.
Eu e meu marido entramos na crise do primeiro ano de casamento. Eu, com personalidade forte, e ele sempre muito calmo, mas também não dava o braço a torcer.
Quando completamos nosso primeiro ano de casamento, estávamos com um pé no divórcio. E para salvar o nosso casamento, ele procurou a tal amiga através de e-mails para tentar me entender.
Mas ele procurou a ajuda errada. Pois em vez dela nos ajudar, ela colocou mais lenha na fogueira.
Marido ficou um mês falando com ela sem eu saber. Ele nunca me contou.
Eu descobri por acaso. Eu tenho todas as senhas de e-mail e redes sociais dele e um belo dia a minha voz interior me falou para abrir o e-mail dele.
E foi aí que encontrei os e-mails que eles estavam trocando.
E ele, tão inocente, falou tudo o que estávamos passando e em vez de ter um "calma, vai passar pois é só uma fase" da parte dela, eu encontrei: "você não merece alguém egoísta assim", "amigo, ela (eu) sempre foi assim, ela não mudou nada" e outras coisas negativas a meu respeito.
Grande ajuda, não é?

Continua....

19 de setembro de 2015

Entramos no Sexto Mês (22 Semanas) / Berço / Consulta / Pedrinho, o Irmão Mais Velho

6 meses - semana 22 a 26

Aos 6 meses de gravidez o bebê mede entre 30 e 35 cm e pesa entre 1000 e 1200 g. Começa a abrir os olhos, já tem uma rotina de sono e possui um paladar melhor desenvolvido. Sua audição está cada vez mais apurada e o bebê já pode perceber os estímulos externos, respondendo ao toque ou assustando-se com barulhos fortes. A grávida poderá notar com maior facilidade os movimentos do bebê e por isso acariciar a barriga e falar com ele pode acalmá-lo.
------''---------''---------''--------''-------''
Essa semana entramos oficialmente no sexto mês de gestação. 
Eu quis vir aqui a semana inteira, mas fez tanto calor e eu fiquei tão desanimada de ter que ligar o notebook, agora mesmo estou escrevendo do celular porque no domingo entraremos na semana 23 e eu não vou ter tempo de escrever sobre a semana 22 antes de domingo. 
Aí hoje eu me programei (mas falhou) de vir aqui e fazer um post bem bonito sobre essa semana, mas a criatura aqui tem umpequeno defeito: eu começo a fazer as coisas em casa e vou emendando na outra. Hoje eu sei atenção especial à minha área na frente de casa e ao quintal pois eu tenho um cachorro bem peludo e eu tive que lavar, varrer, lavar alguns brinquedos do Pedro e jogar fora alguns quebrados. E eu estava lavando roupa ao mesmo tempo. E as roupas se multiplicam de tal maneira ;( 
E além das roupas,  adivinhem o que eu fiz? Inventei de lavar todos os sapatos do Pedro. Alguns ele ainda não usa e como ele ganhou, eu aproveitei e lavei para guardar. Tudo isso com escova e sabão. Meus dedos estão esfolados! 
Por que não inventaram alguma máquina de lavar sapatos ainda? Quanto mais eu lavava, mas aparecia. 
Resultado? Passei a tarde inteira em pé e eu estou QUE-BRA-DA!!!
Isso porque eu não fiz nada dentro de casa. Socorro!!! 
Esse serviço doméstico parece não ter fim. Aí quando penso que finalmente vou poder sentar e me dedicar ao blog, lembrei que não tinha limpado o ventilador que estava cheio de poeira porque vamos precisar dele no final de semana. Mais trabalho!!! Deveria ter alguma máquina de limpar ventilador também, concordam? 
Mas enfim, só vim dar um "alô"mesmo. Essa semana de gravidez está sendo marcada pela azia e pela insônia. Faz umas três noites que vou dormir depois da 1 da manhã. Eu fico um bagaço no outro dia, mas também não consigo descansar durante o dia. Assim fica difícil não é?


Acho que no último post eu tinha falado da minha consulta de pre-natal que estava próxima e do berço que nós tínhamos comprado. 
O berço chegou no dia 10 de setembro, mas chegou avariado. Liguei na central do Walmart e eles abriram um chamado para troca. Marido até queria ficar com o berço do jeito que estava, porque de acordo com ele não afetaria em nada a estrutura do berço, mas preferi fazer tudo certinho. Uma das cabeceiras veio com um dos pés "rachados". A transportadora veio hoje (18/09) fazer a retirada do berço para análise e vão mandar outro. Como hoje não teve aula, o Pedrinho estava em casa e viu levarem o berço embora e ele chorou. Perguntei porque ele estava chorando e ele falou que não era pra levar o berço do Daniel embora. 
Achei tão bonito da parte dele já defender as coisas do irmãozinho. Peguei ele no colo e falei que o berço do Daniel estava quebrado e que o moço ia consertar e trazer de volta depois. E logo veio o classico: "ah! Entendi!!!"



A professora da escola falou que o Pedro está inserindo o Daniel na conversa diária dele. E fala que vai brincar com o Daniel, que vai montar bloquinhos pro Daniel. -_-
Estou tão feliz por essa aceitação que ele tem demonstrado e não vejo a hora de ter os dois no meu colo ao mesmo tempo. Sei que o Pedro vai ser um irmão muito ciumento e protetor. Mas isso a gente vai resolvendo aos poucos. 
Sobre a minha consulta. Ela foi cancelada e me avisaram que ligariam com a nova data. Já me ligaram e vou ter a nova consulta dia 23/09. Eu já estava preocupada porque preciso repor minha bombinha da asma e solicitar alguma vitamina porque tenho me sentido muito cansada. 
Uma coisa que me ajudou a "superar" a herpes bucal foi passar pomada ginecológica na parte que estava incomodando. Foi uma dica da Fer do Blog Que Roubou Meu Coração
E a pomada fazia com que eu não sentisse dor. E ajudou a sarar mais rápido. Eu usei uma chamada Metronidazol, mas pode ser a nistatina também. Espero que essa dica ajude alguém assim como me ajudou. 
(Me levantei para ver o nome da pomada e agora estou travada sem conseguir me deitar 😖😖😖)
Bem, essa semana não tem nada de diferente. O colchão do berço ainda não chegou. Mas tem até final do mês pra chegar. 
O Daniel deu uma acalmada. Eu continuo sentindo e vendo os movimentos dele, mas só o Pedrinho consegue sentir ele chutar no lugar certinho. Comigo e com o papai ele fica brincando de esconde-esconde. 
Próxima consulta terei guia de ultrassom e poderei finalmente confirmar o sexo do Daniel. Estou tão insegura, sei que a médica me mostrou todo o documento, mas eu quero confirmar mais uma vez para enfim #partiucompras! 
E para não perder o costume, mais uma foto com a semana 22. Sem edição porque estou pelo celular. Não liguem para o meu nariz que já era de batata e que agora está mais batata ainda.


É impressão minha ou está passando mais rápido? São seis meses de gravidez já! Falta pouco mais de 3 meses para o Daniel nascer! Socorroooo! Estou começando a ficar assustada! 


Ps: desculpem o sumiço no blog de vocês, eu estou tão desanimada que até para ficar lendo os blogs eu não tenho tido ânimo e nem paciência. Deve ser culpa dos hormônios. Logo volto ao meu normal. (Eu espero)

[edição] Domingo, tem um post programado que vai ser publicado de manhã. É uma história real que eu vivi e ainda vivo e que eu senti necessidade de compartilhar com vocês e também para deixar registrado aqui no blog para poder lembrar algum dia. Vai ser dividida em algumas partes, senão vai ficar muito extensa pois são sete anos de história. Espero que vocês gostem.
Beijos

A história de Pedro e Mamãe

A história de Pedro e Mamãe