23 de julho de 2015

Problemas

Olá
Falei que voltava para falar do positivo e nada né?
Meu notebook não quer ligar! :(
Foram seis anos de companheirismo. Mas ele é temperamental. Daqui a pouco ele liga do nada. É só ter paciência!
Então, outro motivo que estou aqui é para avisar que não postei por problemas pessoais.
Tô numa tristeza sem fim. Meio que depressão sabe?
Nessa crise aí que estamos vivendo, nada tá fácil e eu ainda fico aqui parada dentro de casa. Mando o Pedro pra creche e fico a ver navios o dia inteiro. Não está sendo fácil ficar nesse ócio.
E eu moro num bairro que é todo mundo na sua.
Não tem pessoas da minha idade, não que eu seja super jovem, mas não tem pessoas com os mesmos interesses que você.
Aí é eu comigo, me comigo, eu sozinha o tempo inteiro.
Mas logo passa e vou estar na ativa de novo.
Nessa gravidez eu estou muito estressada também. Tô uma dinamite. Estou tentando ficar mais zen por mim e pelo bebê senão ele nasce estressado.
Domingo eu faço 15 semanas. Tá passando tão devagar... já sinto tantas dores, peso lá embaixo, parece que alguma coisa vai cair e muita cólica. Não posso fazer nada de serviço de casa ou ficar muito tempo em pé que já começo a ter cólica e dor no ciático.
Nenhuma gravidez é igual a outra mesmo.
O que eu tive de sossego na gravidez do Pedro, nessa tá sendo um furacão de sentimentos e provações.
Mas Deus é maior né? Só Ele é o caminho, só Ele é a solução.
Beijos
Volto logo. Prometo!!!
Enquanto isso vou adiantando o post no celular.

20 de julho de 2015

Menino ou Menina?

Hoje ainda é segunda hein? Houve uns contratempos, mas aqui estou eu, vivinha da Silva. Bem, não tão viva.
Esse final de semana fomos buscar o Pedro na casa da minha cunhada. Ele estava há uma semana lá e o menino começou a virar o justiceiro. Ele viria somente dia 25, mas a saudade o justiceiro falou mais alto e lá fomos nós encarar 3 horas de viagem para buscar o menino bonzinho que eu deixei lá, mas só deixei porque o menino da volta...
Cheguei tarde e fui logo escrever o post, mas o tal do whatsapp não me deixou terminar aliado ao meu notebook que começou a dar piti.
Mas se fosse só isso estava bom demais, hoje eu fiquei com duas crianças. Então foi um corre corre. Corre pra arrumar a casa, corre pra fazer o almoço, depois lava e guarda os pratos, tenta lavar roupa, aparta briga... ufa! Foi fácil não!!!!
Mas, o mais importante, eu estou aqui nessa segunda-feira como prometi!!!

Vamosimbora.... 👢👢👢

O post de hoje vai ser um tantinho difícil de escrever. Mas vamos lá!!!

Imagem do Google

Desde quando eu imaginava ter filhos, eu sempre queria que fosse um menino primeiro. Engravidei do Pedro e eu tinha certeza que era um menino. Meu instinto não se enganou.
Nesse agora, eu sinto que é outro menino, mas talvez eu esteja confundindo esse meu instinto com desejo mesmo.
Acho que quem tem uma menina e está grávida de novo, com certeza vai querer ter outra menina por ter mais facilidade em cuidar de menina.
Eu quero outro menino não só por isso, mas também para poder fazer companhia para o Pedro. Brincar de bola com o Pedro e ser companheiro mesmo. Só não vale brigar também ok?
Ai vocês me perguntam: Mas a menina vai ser sua companheira pro resto da vida.

Discordo.

Esse é um pensamento antigo. Acho que nós que temos que fazer com que nossos filhos sejam companheiros. Não estamos mais na época em que as meninas seguiam a mãe e os meninos, o pai. Tudo mudou.

Uma das coisas que eu tenho escutado desde que eu engravidei e tem enchido o meu saco é a seguinte opinião, pitaco da vida alheia:

(Leiam me imaginando virando os olhos de tédio!!!)

_ Tomara que venha uma menininha para fazer o casalzinho!

Agora me diz, quem foi que disse que eu preciso ter um casal para ser feliz? Queeeemmmmm?

Pior que já ouvi tanto essa opinião estúpida que já falo:

_Eu não preciso ter um casal para ser feliz.

Mas ai já vem a próxima pergunta:
_Mas se vier outro menino, você pode tentar de novo e quem sabe vem uma menininha.

Quer saber?

Desisto!

Tem pessoas que sonham em ter só meninas ou só meninos. Conheço pessoas que só pararam de ter filhos quando finalmente veio a tão sonhada menina.
Eu quero ter outro menino? Quero!

Mas e se vier uma menina?

Já sei,  vou olhar ela bem nos olhos e vou falar: volta pro útero!?!

Brincadeira!

É claro que vou aceitar. Antes de saber se é menino ou menina, naquele positivo eu já comecei a amar. É parte de mim agora, eu sou responsável pelo seu crescimento, pela sua existência.
Quando eu fiquei grávida do Pedro, eu nunca tinha me imaginado mãe e sempre me pagava pensando todos os dias da gravidez: nossa! Eu não sinto esse amor enlouquecedor que todas falam. Será que eu nunca vou sentir isso ou amar o Pedro?
E quando o Pedro nasceu (tcharam!!!!) Estava lá o instinto materno que todas falaram.
Eu tenho medo? Tenho muitos.
Não é porque é segunda gravidez que eu sou expert. Posso ter 20 gestações e sempre vou ter medo.
Sei que algumas pessoas que vieram me falar que tomara que seja uma menina, não falaram por maldade. Queriam somente mostrar o quão feliz estão por mim, mas tem pessoas que você percebe que fez um comentário sem noção e ainda percebe que foi um comentário sem noção, mas não estão nem aí.
Minha barriga não apareceu ainda. Sei que vai demorar porque foi a mesma coisa que com a gestação do Pedro. Eu não vou ficar competindo tamanho de barriga.
Mas ai vem os língua solta e fala: nossa! Nem parece que você está grávida! Cadê a barriga?

Respondo o que para essas pessoas?
E a pergunta incessante com:

6 semanas: já sabe o sexo?
Não

11 semanas: já sabe o sexo?
Não! Ainda é muito cedo.
Contraresposta: com 11 semanas eu descobri o sexo de....  blá blá blá

14 semanas (semana atual): e aí, já sabe o sexo do bebê? Tá na hora né?
Não! Não sei e estou pensando seriamente em saber só na hora do parto!

Sabe, ou eu estou muito sossegada nessa gravidez, ou estou xarope ou é porque somos alvo de curiosidade irritante e pitacos.

Que pecado eu estou cometendo por não estar curiosa para saber o sexo do bebê ou por não achar que ter um casal vai ser como ganhar na loteria?

E querem saber? Se não houvesse tanta dificuldade em comprar roupa unissex pra bebês ou até encararia esperar saber só na hora do parto.

Eu já comprei duas roupinhas. Uma verde e outra amarela. Mas não adianta não ter motivos feminino ou masculino, sempre puxa pra um lado.
Vamos ver quando eu fizer o ultrassom né?
Não sei quando eu vou fazer ainda, eu estou sossegada. Por enquanto não vai fazer tanta diferença pq só vou comprar o enxoval em outubro, então temos tempo de sobra.

Ah! Antes que eu esqueça. Minha vizinha fez o teste da colher e do garfo e...

Eu sentei na colher (menina).
E como eu não tinha nome de menina, me empenhei em escolher logo. Foi o primeiro que decidimos. O nome de menino também já está decidido, mas posso mudar de opinião a qualquer momento porque não estou totalmente apaixonada pelo nome.

Hoje estou de 14 semanas e 1 dia. Nada da barriga aparecer, mas seguimos bem sem nenhum sintoma que incomode. Só a fome!

Quarta-feira eu volto com mais um post. Vou contar sobre o meu positivo e se você tiver alguma pergunta, é só deixar aqui nos comentários que eu respondo no post de quarta-feira.

Beijinhos e até quarta!

Ps: não liguem a bagunça, texto feito e enviado pelo celular.

16 de julho de 2015

Nomeando o Bebê




A escolha do nome Pedro não foi fácil. Houve muita briga e muito choro (meu, é claro).
Acho que já contei aqui, mas o nome Pedro foi escolhido através de um sonho.
Quando eu namorava meu esposo, eu tive um sonho. Nós tínhamos um filho e ele se chamava Pedro. Eu não gostei do nome Pedro, porque lá em Recife não é comum você colocar na criança o nome Pedro. É nome de gente idosa, sabe?
Ai eu pensei, repensei e tive a brilhante ideia de colocar Pietro. Mas meu excelentíssimo marido não conseguia chamar Pietro e sim Prieto. Um horror! Um pesadelo!
E eu ainda estava com o pé atrás com o nome Pedro. Ai pensei novamente (e só para lembrar vocês, eu ainda nem estava grávida) e pensei no nome Lorenzo. Meu marido é neto de italianos, então seria legal colocar um nome italiano. O nome estava decidido!
E engravidamos! E enjoei do nome!
Estaca zero de novo!
1 Mês - Louca para ter mais um desse
Ai meu marido surgiu com a ideia de colocar o nome do nosso filho JUNIOR!!!
Morri! Chorei! Chorei! Chorei demais por semanas! 
Ai ele deu um ultimato: Era Pedro ou Junior!
E óbvio que preferi Pedro!
Essa foi a história do nome Pedro. Foi meio que uma revelação do Senhor quanto ao nome do nosso primeiro filho. E Pedro tem cara de Pedro. Não poderia imaginar um nome melhor pra ele.
Três Meses
E com o segundo não seria diferente...
No final de 2013, eu sonhei de novo. 
Sonhei com um bebê parecidíssimo com o Pedro. Colocava o bebê no colo do Pedro e falava:
- "Olha Pedro! Esse é o Bernardo, seu irmão"!

Ai apaixonei!

Mas como nem tudo são flores, tive que desistir desse nome. Uma pessoa que não gosta de mim nem do meu esposo, na época do meu sonho ela estava grávida e o nome do filho dela é Bernardo. E como Pedro também foi um nome "copiado" sem querer da irmã dela, prefiro escolher outro nome.
O filho da irmã dela se chama Pedro e nasceu em fevereiro de 2012. Descobri o sexo do Pedro em janeiro e falei pra mãe dela do nome e ela falou: "Que legal, é o nome do meu netinho que nasce mês que vem". 
Eu não ia desistir do nome não é?

2 Meses - Tem como não querer outro olhando para essa foto?
Eu ainda não sei o sexo do bebê dois, mas os nomes já estão escolhidos. Eu que escolhi e como marido não pensava em nome algum, dei um apertinho nele e ele concordou com os nomes! 

Falando em nomes ainda...
Vocês já tiveram algum parente que roubou o nome do seu futuro filho?
Pois eu já... 
Quando eu estava grávida do Pedro, toda a família estava torcendo por uma menininha. E o nome já estava escolhido: Júlia! 
Sempre quis esse nome. Desde adolescente quando pensava em minha filha, eu pensava na Júlia.
Ai veio o Pedro. Então Júlia ficaria pra quando eu tivesse uma menina, mas...
Minha cunhada engravidou...
Engravidou no meu ultimo mês de gravidez e nasceu uma menina que se chamaria Maria Helena e acabou mudando para Júlia.
Aquilo doeu tanto. Doeu pelo fato dela ter colocado um nome que ela sabia que eu colocaria numa filha minha e pelo fato dela não suportar ver eu tendo atenção pelo meu filho que ia nascer. A filha dela nasceu quando o Pedro tinha 7 meses.
A atenção pro meu filho acabou né? Afinal, eu sou nora...
Hoje, eu superei. Não era pra ser mesmo e hoje eu não sei se colocaria Júlia numa filha minha. Estou com outra cabeça, eu amadureci.
Foi algo que me magoou no momento, mas também tinha bagagens anteriores de coisas que ela tinha feito.
Tá superado!
Ai eu, tonta de novo, em algum momento que não lembro, falei que gostava do nome Giovanna. Ai, quando fomos visitá-los, ela perguntou se já tínhamos decidido o nome.
Falei que sim e que só contaria se ela não roubasse o nome depois. Olha a patada! Delicada igual a coice de mula! hehehehe
Ela falou que nunca faria isso... Sei...

Ai conversando depois com minha sogra falei do nome de menina que tínhamos escolhido e minha sogra falou que era um nome feio. 
É óbvio que é feio, eu sou a nora dela. Mas também já falei que a filha é minha e o que importa é que eu e meu marido gostamos do nome e ponto final.
Ai já vem minha cunhada falar que quando tiver o terceiro (sim, ela já tem um casal) e se for menina vai colocar o nome Giovanna. Será que escutei bem? Será que eu estava ouvindo coisas?

Não, minha gente! Não ouvi coisas... 
Sorte a minha que eu descartei Giovanna. Porque meu nome começa com G e me chamam de Gi, seriam duas "Gis" em casa. Seria estranho!

Sabe gente, isso me deixa chateada sim. Porque a pessoa não tem imaginação para colocar nome nos filhos e fica "copiando".
Eu e minha cunhada tivemos muitos problemas no começo do meu namoro com o irmão dela. Ela e minha sogra não me aceitavam por eu ser nordestina. Sofri muito! Chorei muito! Foi muito sofrido, mas eu perdoei, só não esqueci. Não sinto mágoas nem rancor mais. Elas tratam o Pedro muito bem.
Vejo que ela ama meu filho como um filho.
Mas vou confessar pra vocês que esse lance do nome não desce de jeito nenhum goela abaixo.

Vocês devem pensar: Gi, deve ser impressão sua.

Será?

Marido também concorda comigo. É irmão dela e já percebeu isso...
Só espero que se eu tiver uma menina e se ela tiver outro menino, ela não copie o nome do meu filho, mesmo que eu não tenha mais, que ela seja um pouco mais criativa.
Respeitar o outro dentro da família e essencial não é? 

E ai, como vocês se sentiriam se algo assim acontecesse com vocês?

Segunda eu volto com o post "Menino ou Menina?"

Beijos

____________________________________________________________________________

Como anda a gravidez
Estou de 13+4 semanas. Estou entrando no 4º mês e nada da barriga aparecer. Faz duas semanas que não tenho enjoous. Yupiii!!! 
Estou preparando o post do relato do segundo positivo. São muitas informações e vai ser um post longo.
Vou fazer posts para acompanhar esse começo de gravidez toda segunda, quarta e sexta ok? E podem vir me cobrar.
____________________________________________________________________________

6 de julho de 2015

Bebê a Bordo / Mãe de Segunda Viagem




E começamos mais uma nova aventura. Hoje estamos com 12 semanas e 1 dia.
Bebê vindo com o ano novo. Previsto para 17 de Janeiro de 2016.
Feliz? Assustada me define melhor...
Logo volto para contar os detalhes.

Sou mãe de segunda viagem, mas parece como se fosse a primeira vez!

A história de Pedro e Mamãe

A história de Pedro e Mamãe